O que é que o Cerrado tem pra vê? Pinturas rupestres mostrando numerosas evidências humanas de 11.000 anos de antiguidade, museus e monumentos históricos, belezas naturais inacreditáveis nas suas paisagens, especialmente suas chapadas e chapadões (Chapada dos Veadeiros, Chapada Diamantina, Chapada dos Guimarães, Grande Sertão Veredas, Cantão, Emas, Jalapão) que são um espetáculo único; igual às suas cascatas, cachoeiras e corredeiras; seus “buracos de araras”; suas veredas de buritis; seus rios de água cristalina e seus grandes rios piscosos e navegáveis, como o Araguaia ou o Tocantins assim como grutas como a Gruta do Lago Azul com águas azuis no Mato Grosso do Sul, rodeado por rochas que datam de milhares de anos.

O turismo indígena agora é legal e foi regulamentado. A atividade pode fornecer renda, especialmente atraindo turistas estrangeiros que se dispõem a fazer uma dessas visitas pelo menos uma vez na vida, mas requer investimento e organização para evitar impactos negativos. As maiores áreas intactas de vegetação natural no Cerrado estão em suas 95 terras indígenas, cobrindo 96.000 km2, 4,8% do bioma, principalmente para o norte e oeste perto da região da Amazônia e são áreas com as menores taxas de desmatamento, especialmente comparadas com as áreas protegidas oficiais, mesmo aquelas de proteção integral (Paiva et al. 2015).

Quem conhece o Cerrado, não abandona jamais!

 

 

Confira alguns dos destinos mais procurados por turistas no Cerrado: