Estudos de paisagem aplicados ao etnomapeamento no território indígena Krahô no Brasil Central

Autor(a):

Larissa Ribeiro de Castro

Resumo:

Conflitos sociais são frequentes em diversas comunidades indígenas no Brasil, especialmente em torno da posse da terra e de seus recursos naturais. Um marco legal para a mitigação desses conflitos foi o Decreto nº 7.747 de 2012, que institui a Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas (PNGATI), com objetivo recuperar e conservar os recursos naturais dos territórios indígenas. Essa política apresenta o etnomapeamento como ferramenta de diagnóstico participativo orientador das ações de gestão territorial. Esses etnomapas empregam dados de sensores orbitais para o reconhecimento dos padrões de ocupação da terra e das mudanças da cobertura da terra. O presente trabalho tem os objetivos de realizar o etnomapeamento do Território Indígena Krahô por meio de dados orbitais e entender a distribuição espacial de suas aldeias por meio de dados estruturais e funcionais sobre a paisagem. O Território Indígena Krahô está localizado no nordeste do Tocantins numa região de Cerrado, considerado a maior área continua de Cerrado preservado do Brasil habitado por uma etnia. Seu território compreende um espaço de aproximadamente 302.000 hectares com cerca de 3.000 habitantes. O crescimento populacional em um território restrito e o uso do fogo como técnica para limpeza de área vem causando o desgaste da terra. Para a realização do etnomapa do Território Indígena Krahô foi feita uma pesquisa de campo em que foram coletadas as coordenadas geográficas das aldeias, bem como seus nomes étnicos e comuns. Também foram realizadas entrevistas com membros , e nomes étnicos dos rios. Dados do sensor Shuttle Radar Topography Mission (SRTM) foram usados para gerar declividade e curvatura, para a composição colorida do relevo. No mapeamento de cobertura da terra foram usadas imagens do satélite Landsat 8, composto pelo instrumento Operational Land Imager (OLI) e, então, realizada a organização espacial das aldeias na paisagem. Como resultado foi possível observar que as aldeias seguem padrões relacionados aos elementos estruturais e funcionais da paisagem em sua espacialização, bem como a necessidade de uma gestão territorial eficiente para o controle dos recursos naturais que diminuem ao passo que acontece a expansão populacional. Os dados organizados poderão subsidiar futuras ações de gestão territorial, bem como a produção de material didático para uso nas escolas indígenas.

Referência:

CASTRO, Larissa Ribeiro de. Estudos de paisagem aplicados ao etnomapeamento no território indígena Krahô no Brasil Central. 2016. 33 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Gestão Ambiental)—Universidade de Brasília, Planaltina-DF, 2016

Disponível em:

);