Teores de mercúrio em plantas do cerrado senso restrito da estação ecológica Águas Emendadas, Distrito Federal

Autor(a):

Luciana Frota Madeira

Resumo:

O presente trabalho teve por objetivo avaliar as concentrações de mercúrio total (Hg) no estrato arbóreo e herbáceo (gramíneas) da vegetação de cerrado sensu stricto da Estação Ecológica Águas Emendadas, Planaltina – DF, Brasil. A concentração do Hg foi determinada por espectrometria de absorção atômica. Os teores médios encontrados no estrato arbóreo e herbáceo foram de 36 ng/g (5,32-80,9 ng/g) e 15ng/g (4,54-48,5 ng/g), respectivamente. As famílias Annonaceae, Vochysiaceae e Fabaceae apresentaram as maiores concentrações médias (> 40 ng/g de Hg). O estudo revelou que as espécies do cerrado estudadas bioacumularam nos seus tecidos foliares concentrações de Hg abaixo dos valores de fitotoxicidade e por isso convivem naturalmente com este metal sem apresentar quaisquer efeitos deletérios. Entretanto, são necessários estudos mais específicos da origem e dinâmica do mercúrio nesses ambientes e da resposta fisiológica das plantas.

Referência:

MADEIRA, Luciana Frota. Teores de mercúrio em plantas do cerrado senso restrito da estação ecológica Águas Emendadas, Distrito Federal. 2013. 17 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Naturais)—Universidade de Brasília, Planaltina-DF, 2013.

Disponível em:

);