Potencial produtivo de plantas de importância socioeconômica da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Nascentes Geraizeiras, Minas Gerais, Brasil

Autor(a):

Simone Mazer

Resumo:

O Cerrado é o bioma com maior taxa de desmatamento no Brasil. Uma alternativa viável para reduzir as taxas de desmatamento no bioma é a exploração dos produtos da floresta que, se realizada de maneira sustentável, pode contribuir para a melhoria de renda de comunidades rurais e colaborar para a conservação dos recursos naturais. A fim de contribuir para os estudos relacionados à exploração sustentável dos produtos da floresta, o objetivo deste trabalho é estimar o potencial produtivo de seis espécies da flora do Cerrado de maior importância socioeconômica para comunidades geraizeiras, comunidades tradicionais do norte do estado de Minas Gerais, contempladas pela recém-criada Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Nascentes Geraizeiras. A área foi dividida em diferentes classes de cobertura de solo das quais quatro apresentaram as espécies de interesse (áreas antropizadas, cerrado rupestre, cerrado sentido restrito e eucaliptais abandonados). Os dados de densidade por classe diamétrica foram submetidos ao modelo exponencial negativo, ou J-reverso, e o potencial de produção de frutos foi calculado por simulações. Os resultados para produção de frutos são referentes à média e desvio padrão encontrados e os resultados referentes ao J-reverso correspondem ao coeficiente de determinação (R²), que varia de 0 a 1. As áreas de cerrado sentido restrito apresentaram resultados para produção de frutos maiores para Caryocar brasiliense Cambess. (pequi) (1.734,1 ±55,5 frutos/ha e R² J-reverso = 0,54) e Hancornia speciosa Gomes (mangaba) (1.249,3 ±127,3 frutos/ha e R² J-reverso = 0,81). A produção de frutos de Eugenia dysenterica Mart. DC. (cagaita) foi maior nas áreas de eucaliptais (6.981,9 ±448,9 frutos/ha e R² J-reverso = 0,98); Annona crassiflora Mart. (araticum ou panã) apresenta maior produção de frutos nas áreas antropizadas (14,3 ±3,0 frutos/ha e R² J-reverso = 0,47). Para P. campestris Camb A.C.SM. (rufão) não foi calculado potencial de produção de frutos por ausência de dados na literatura, sendo apresentados resultados apenas para estrutura populacional (R² J-reverso > 0,84). Existe o volume estimado de madeira de Tachigali subvelutina Benth. Oliveira-Filho (veludo), a única utilizada para fins madeireiros, de 1,025 m³/ha no cerrado rupestre.

Referência:

MAZER, Simone. Potencial produtivo de plantas de importância socioeconômica da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Nascentes Geraizeiras, Minas Gerais, Brasil. 2016. xiv, 46 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

Disponível em:

);