Luízes, um quilombo em contexto urbano: história, memória, travessia e re-existência dos pretos das piteiras

Autor(a):

Miriram Aprigio Pereira

Resumo:

O presente estudo analisa o processo de travessia experimentado pelos Remanescentes Quilombolas Luízes através da compreensão de sua história, da escuta da narrativa de suas memórias, da auscultação de seus processos de resistência e da percepção de aspectos de sua identidade. Na condição de território quilombola, sua base é estruturada em processos históricos específicos que vão de uma condição de total isolamento ao reconhecimento na categoria de quilombo em contexto urbano. Transcorreram poucas décadas desde a chegada da urbanização que invadiu o território, sendo indissociáveis os aspectos históricos de formação do Quilombo dos Luízes e o contexto de surgimento e expansão da cidade em que está localizado: Belo Horizonte, Minas Gerais. O objetivo deste estudo é propor uma reflexão acerca da importância da auto-reflexão acerca dos processos identitários do Quilombo dos Luízes, possibilitando que a comunidade repense suas práticas ao apresentar aspectos relevantes de sua cultura e histórias. Através da metodologia específica de uma pesquisa implicada, buscou-se destacar o protagonismo de seus sujeitos através da oralidade e das fontes documentais analisadas, além de estabelecer interlocução exclusivamente com estudos elaborados por teóricos quilombolas e pesquisadoras (es) pretas(os). O resultado é uma produção voltada para o coletivo em questão, fomentada por seus próprios recursos e reveladora da importância da manutenção e continuidade do legado Luízes, como mecanismo de resistência a inspirar outros segmentos tradicionais e étnico-raciais. 

Referência:

PEREIRA, Miriam Aprigio. Luízes, um quilombo em contexto urbano: história, memória, travessia e re-existência dos pretos das piteiras. 2018. 180 f., il. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

Disponível em:

);