Jaguatirica

Nomes comuns: Jaguatirica, gato-maracajá, maracajá-verdadeiro, maracajá-açu, gato-do-mato.

 

Nome em inglês: Ocelot.

 

Ameaças e conservação: A principal ameaça é perda e fragmentação de habitats naturais a qual a espécie depende. O abate de animais para controle de predação em aves domésticas, atropelamentos e transmissão de doenças por carnívoros domésticos também podem representar ameaças. É necessário restabelecer a conectividade dos habitats fragmentados em áreas com maior fragmentação na Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga e adotar medidas retaliatórias contra a caça e o comércio ilegal. A espécie não foi incluída na lista oficial de espécies ameaçadas do MMA (Ministério do Meio Ambiente, 2014).

 

Comprimento total: Varia de 97 cm a 1,45 m.

 

Peso: Até 18,6 kg.

 

Dieta: Pequenos e médios mamíferos, como ratos, camundongos, pacas, cutias, tatu, macacos, ungulados e aves, répteis, peixes, moluscos e crustáceos aquáticos.

 

Número de filhotes: 1 a 4.

 

Gestação: 70 a 85 dias.

 

Longevidade: 10 anos (vida livre) e 21,5 anos (cativeiro).

 

Estrutura social: Solitário.

 

Padrão de atividade: Noturno e crepuscular.

 

Distribuição geográfica: É encontrado desde o sudoeste do Texas, oeste do México até o norte da Argentina e noroeste do Uruguai. No Brasil, ocorre em todo o território nacional, exceto da região dos pampas no sul do Rio Grande do Sul.

 

Habitat: Ocorre em uma variedade muito grande de ambientes que vão desde áreas florestadas e pluviais até formações abertas e secas como a Caatinga e Chaco. Pode ser encontrado tanto em ambientes primitivos quanto em ambientes alterados, inclusive em áreas agrícolas e pastagens de pequena monta.

 

Descrição física: Felino de porte médio e com pelagem espessa, de coloração amarelo-dourada com rosetas escuras dispostas principalmente nas laterais do corpo. No dorso as rosetas se fundem formando listras que vão do topo dos olhos à base da cauda.

 

Fonte: Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros – CENAP/ICMBio, Disponível em: https://www.icmbio.gov.br/cenap/carnivoros-brasileiros.html Acesso em: 31.agosto.2021

);