Formação de educadores e a construção da escola do campo : um estudo sobre a prática educativa no Colégio Estadual Vale da Esperança - Formosa/GO

Autor(a):

Catarina dos Santos Machado

Resumo:

Este trabalho teve como objetivo geral analisar a prática educativa de um grupo de professores do Colégio Estadual Vale da Esperança, município de Formosa Goiás, sendo três deles formados/em formação pelo Curso de Licenciatura em Educação do Campo da Universidade de Brasília, e três formados em outros cursos de Educação do Campo. Para fundamentar de forma teórica as discussões sobre a Educação do Campo, recorremos principalmente aos seguintes autores: Paulo Freire, Luiz Carlos Freitas, Pistrak, Roseli Caldart, Mônica Molina, e Anna Izabel Barbosa. A pesquisa foi desenvolvida no âmbito qualitativo, tendo como instrumentos de coleta de dados as técnicas de análise documental, observação participante e entrevista. Para a organização dos instrumentos de pesquisa foram utilizados os aspectos centrais da organização do trabalho na escola capitalista, que segundo Luiz Carlos Freitas devem ser criticados e superados para instaurar uma escola dos trabalhadores: a ausência do trabalho como princípio educativo; a fragmentação do conhecimento e a gestão escolar autoritária. Estes três aspectos centrais foram traduzidos na forma de três grandes eixos que devem estar presentes na prática pedagógica e nos processos de construção da escola do campo: presença do trabalho como princípio educativo, formação por área de conhecimento e gestão escolar democrática. Durante o processo de organização dos dados coletados, foram obtidas as seguintes categorias de interpretação: trabalho com princípio educativo, princípio da organicidade e auto organização, trabalho pedagógico e formas de avaliação, interdisciplinaridade, gestão escolar e visão sobre a escola do campo. Os resultados da pesquisa levam-nos a inferir que as formas de organização pedagógica desses professores, sua dinâmica e seus projetos educativos na escola do campo começam de forma incipiente a desenvolver técnicas voltadas para as práticas da Educação do Campo, mas ainda necessitam de um avanço mais direcionado aos sujeitos do campo. O estudo aponta ainda a necessidade de ampliar as oportunidades de formação para que esses sujeitos desenvolvam práticas educativas voltadas para a melhoria da vida no campo e que a sua formação na Licenciatura em Educação do Campo venha a contribuir de forma mais específica e mais voltada para a realidade das escolas onde esses educadores atuam.

 

Referência:

MACHADO, Catarina dos Santos. Formação de educadores e a construção da escola do campo : um estudo sobre a prática educativa no Colégio Estadual Vale da Esperança – Formosa/GO. 2014. xv, 126 f., il. Dissertação (Mestrado em Educação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

Disponível em:

);