Estabilidade de agregados, carbono orgânico e glomalina do solo em diferentes sistemas de manejo no quilombo de Mesquita - GO

Autor(a):

Antônio Marcos Miranda Silva

Resumo:

São poucos os trabalhos no Brasil que avaliam o comportamento de atributos físicos associados à glomalina em comunidades quilombolas. Portanto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a relação de agregação do solo com os teores de glomalina e carbono orgânico de um Latossolo Vermelho distrófico manejado, de forma conservacionista e convencional, por agricultores quilombolas do estado de Goiás. Os sistemas de manejo estudados foram: Plantio conservacionista de cultura perene (PCons), plantio convencional de grãos (CG), pastagem degradada (PD) e o cerradão tomado como referência. Observou-se que os sistemas de manejos que adotam práticas conservacionistas (PCons) tendem a expressar índices de atributos físicos semelhantes às áreas naturais e que o sistema com práticas convencionais (CG) exibe maior massa de microagregados, ocasionado pela não adoção de práticas de arrefecem a erosão. A glomalina se correlacionou com os teores de carbono no solo, comprovando que essa glicoproteína é uma fonte de carbono para o solo e o sistema PCons e CN foram os que apresentaram os maiores teores de carbono, glomalina e estabilidade de agregados. Os macroagregados exibiram os maiores teores de glomalina facilmente extraível.

Referência:

SILVA, Antônio Marcos Miranda. Estabilidade de agregados, carbono orgânico e glomalina do solo em diferentes sistemas de manejo no quilombo de Mesquita – GO. 2016. 62 f., il. Monografia (Bacharelado em Agronomia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

Disponível em:

);