Composição florística e estrutural da vegetação arbórea de uma mata de galeria perturbada no Distrito Federal

Autor(a):

Michelle Jesus Dezordi

Resumo:

As Matas de Galeria exercem funções ecológicas fundamentais para o equilíbrio dos ecossistemas do bioma Cerrado, entretanto estas vêm sendo significativamente perturbadas ou convertidas. O inventário foi realizado no ano de 2013 com o objetivo de avaliar a estrutura e florística da comunidade arbórea da Mata de Galeria do Capetinga, localizada na Fazenda Água Limpa (FAL), Brasília-DF. Todas as árvores com DAP ≥ 5 cm, foram amostradas em 100 parcelas de 10 x 10 m, dispostas em quatro linhas perpendiculares ao leito do córrego principal. A comunidade vegetal foi alvo de distúrbios no passado, incluindo incêndios e consequente presença de espécies superdominantes. No total foram amostradas 89 espécies pertencentes a 78 gêneros e 44 famílias botânicas. As famílias que apresentaram maior riqueza de espécies foram: Fabaceae (10 espécies), Myrtaceae (6), Melastomataceae (5), Lauraceae (5), Rubiaceae (5) e Apocynaceae (4). Juntas, essas famílias representaram 39% da riqueza total da área, realçando a importância das mesmas para a composição florística da área estudada. O Índice de Diversidade de Shannon foi de 3,86, expressando alta diversidade à mata do Capetinga. Foram amostrados 927 indivíduos.ha-1 que somaram área basal de 23,5 m2.ha-1, valores esses menores do que os registrados em áreas de Matas de Galeria preservadas. Observa-se que a riqueza e densidade de espécies na área se encontram inferiores aos valores de Matas de Galeria preservadas no Distrito Federal situação que pode indicar influência dos distúrbios ocorridos no passado na comunidade.

Referência:

DEZORDI, Michelle Jesus. Composição florística e estrutural da vegetação arbórea de uma mata de galeria perturbada no Distrito Federal. 2015. 24 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Gestão Ambiental)—Universidade de Brasília, Planaltina-DF, 2015.

Disponível em:

);