Comportamento espectral das fitofisionomias do cerrado na estação ecológica do Jardim Botânico de Brasília-DF

Autor(a):

Rodrigo Cardoso de Arruda

Resumo:

Em termos nacionais, o monitoramento da ocupação dos solos do Cerrado é um dos mais difíceis de serem obtidos, principalmente pela sua extensão de cerca de 203 milhões de hectares, pela acentuada sazonalidade, pelo rápido avanço das atividades agrícolas, pela elevada diversidade de fitofisionomias e especialmente pela confusão espectral entre algumas classes de uso antrópico e de vegetação natural. Alguns índices de vegetação, em particular, têm sido utilizados para melhorar e quantificar sinal fotossintético “verde” e permitir significativas comparações espaciais e temporais da atividade da vegetação. Estes índices são efetivamente usados no monitoramento da dinâmica sazonal da vegetação, detecção de mudanças e classificação da cobertura terrestre. No presente estudo, foi comparado o comportamento espectral das principais fitofisionomias do Cerrado localizadas na Estação Ecológica do Jardim Botânico em Brasília-DF utilizando imagem de satélite Landsat 8 OLI/TIRS, verificando diferenças estatísticas da variação do EVI – Enhanced Vegetation Index em áreas de fitofisionomias distintas. A área de 4.518 hectares foi separada em 5 blocos, a partir da feição morfológica da paisagem. Foram coletadas amostras da reflectância de todas as diferentes fitofisionomias do Cerrado local, utilizando Sistemas de Informação Geográfica – SIG. O índice foi submetido ao teste de normalidade Shapiro-Wilk, análise de variância Kurskal-Wallis e teste comparações múltiplas de Nemenyi–Damico–Wolfe–Dunn. Os resultados indicam diferenças significativas para o EVI nas fitofisionomias: Campo Limpo, Campo Sujo, Campo Úmido, Cerrado Ralo, Cerrado Denso e Cerrado Sentido Estrito. A única fitofisionomia que apresentou comportamento semelhante em relação ao EVI foi a Mata de Galeria, que pode estar relacionado a variação espectral que tem efeito atenuado neste caso, pois em um pixel só se observa a copa das árvores,
recebendo pouca interferência de outros elementos da paisagem, especialmente do solo, que é mais exposto em fitofisionomias com dossel mais aberto.

Referência:

ARRUDA, Rodrigo Cardoso de. Comportamento espectral das fitofisionomias do cerrado na estação ecológica do Jardim Botânico de Brasília-DF. 2018. 44 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Florestal)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

Disponível em:

);