Avaliação de genótipos de grão de bico no cerrado do Planalto Central Brasileiro

Autor(a):

Osmar Pereira Artiaga

Resumo:

O grão de bico (Cicer arietinum L.) é uma espécie pouco conhecida no Cerrado do Planalto Central, ainda que, mundialmente, seja considerada a terceira leguminosa mais importante com uma área cultivada de cerca de 12 milhões de hectares. O grão de bico é usado como alimento, industrialmente e também como terapêutico. O Brasil apresenta consumo limitado desta leguminosa devido ao alto custo praticado no mercado em consequência da ausência de produção. Este estudo teve como objetivo investigar o potencial produtivo e selecionar genótipos com características superiores para cultivo no Cerrado em condições tanto de sequeiro como irrigado. Foram conduzidos dois ensaios: o primeiro com treze genótipos de origens diversas e duas cultivares recomendadas como testemunhas em três épocas de plantio na Embrapa Hortaliças no Distrito Federal em sequeiro; o segundo em área irrigada por pivô central no município de Cristalina-GO com quatro épocas de plantio utilizando os mesmos acessos. Os genótipos FLIP03-109C, FLIP02-23C e FLIP06-34C foram superiores às duas testemunhas, possuindo características morfoagronômicas desejáveis nos dois sistemas de produção e com indicação para cultivo no Cerrado. Os genótipos BG 1392, Cícero, Blanco Sinaloa 92 e Jamu 96 mesmo com rendimentos inferiores, mas com características superiores do grão, podem ser utilizados em programas de melhoramento do grão de bico. As semeaduras nos meses de janeiro e abril proporcionaram melhores resultados, nos sistemas de sequeiro e irrigados, respectivamente.

Referência:

ARTIAGA, Osmar Pereira. Avaliação de genótipos de grão de bico no cerrado do Planalto Central Brasileiro. 2012. 92 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

Disponível em:

);