Variabilidade de amônio e nitrato em solo cultivado com soja e milho no cerrado

Autor(a):

Marcelo Capbodevila

Resumo:

O nitrogênio apresenta dinâmica complexa no solo. Como consequência dessa dinâmica, as formas minerais desse nutriente (amônio e nitrato) apresentam elevada variabilidade no solo, dependendo da cultura e das aplicações de fertilizantes nitrogenados. O objetivo desse trabalho foi avaliar a variabilidade nos teores de amônio e nitrato, determinando o número adequado de amostras representativas a serem coletadas em solos cultivados com milho e soja no Cerrado, sob duas formas de coleta: aleatória e sistemática. Foi utilizado um experimento localizado na área experimental da Embrapa Cerrados, em Planaltina – DF, em Latossolo Vermelho. O procedimento para a determinação de amônio (NH4+) e nitrato (NO3-) envolveu a destilação por arraste de vapores das soluções contento essas formas de nitrogênio mineral. O amônio foi a forma de nitrogênio predominante no solo, porém foi constatada maior variabilidade desse íon após aplicação da ureia (CO(NH2)2). Os coeficientes de variação para os teores de amônio e nitrato foram muito elevados atingindo valores superiores a 100% para a segunda coleta e, por isso necessitam de quantidade muito elevada de subamostras, acima das recomendações tradicionais, para que represente com boa confiabilidade uma área amostrada. Além disso, não foi possível afirmar qual é o melhor método de amostragem (sistemático e aleatório) para as culturas da soja e do milho que pudesse diminuir os erros de amostragem de solo

Referência:

CAPBODEVILA, Marcelo. Variabilidade de amônio e nitrato em solo cultivado com soja e milho no cerrado. 2014. 40 f., il. Monografia (Bacharelado em Agronomia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

Disponível em:

);