Uso popular e comércio informal de plantas medicinais no município de Sanclerlândia, Goiás, Brasil

Autor(a):

 Anna Carolina Machado Ribeiro, Karlla Beattriz Marques Sousa, Luana Angélica de Paula, Sandra Alves de Sousa

Resumo:

O presente trabalho teve como objetivo principal, avaliar o comércio informal através do trabalho realizado pelo raizeiro de Sanclerlândia-GO, e as principais plantas utilizadas pela população. A metodologia consistiu na realização de entrevistas do tipo descritiva, observacional com o raizeiro da cidade, e com a população acima de 30 anos. Na cidade foi encontrado apenas um “raizeiro”, que atua nessa área há 25 anos e seus conhecimentos são baseados em estudos e de hereditariamente. Através dos resultados obtidos, nota-se que a população adquiriu seus conhecimentos sobre as plantas medicinais pela vivência com parentes (pais, avós) de forma hereditária, sendo que 83,5% dos usuários adquiriram as plantas medicinais por conta própria (quintais, cerrados, entre outros). A gripe foi à doença com maior número de citação de uso, seguido de inflamação, estresse/insônia. Em relação à preparação das plantas, observou-se a predominância dos chás (54%). É importante ressaltar fatores que podem representar riscos para os consumidores dessas preparações populares: conhecimento insuficiente sobre as plantas comercializadas falta de controle de qualidade do material vegetal e o uso de misturas de plantas sem considerar as suas interações.

Referência:

Ribeiro, A.C.M. et al. Uso popular e comércio informal de plantas medicinais no município de Sanclerlândia, Goiás, Brasil. Revista Faculdade Montes Belos (FMB): v. 6, n° 1, p.1-13, 2013

Disponível em:

);