Steindachnerina amazonica. (Steindachner, 1911).

CP 9,2 cm

Nome(s) popular(es):

Branquinha.

Tamanho

Até 9,9 cm de comprimento padrão.

Alimentação

Iliófaga, i.e., semelhante aos demais curimatídeos. Trata-se de peixes que se  alimentam de partículas dispersas no substrato, que podem ser de decomposição variada, desde micro-organismos até matéria orgânica em decomposição. Possuem um aparelho digestivo adaptado para selecionar o que interessa ou não à sua alimentação.

Nome Xavante:

Penhãnãrehöi’re.

Dimorfismo sexual secundário

Sem traços óbvios.

Usos e importância da espécie

Por ser de pequeno porte, esta espécie não desempenha papel importante na pesca. Como as demais forrageiras, S. amazonica representa um elo importante na cadeia alimentar dos ambientes onde se encontram.

Descrição da espécie

Corpo alongado, fusiforme, recoberto por escamas ciclóides; boca subinferior, desprovida de dentes; linha lateral completa, 36-41 escamas; nadadeira caudal nua, bifurcada, com os raios longos do lobo inferior de coloração mais escura. Coloração prateada uniforme, com indistinta faixa lateral negra na linha lateral e mácula negra na altura da linha lateral e mácula na base da porção mediana dos raios da nadadeira dorsal. Espécie pouco freqüente nos cursos superior e médio dos riachos e córregos do PESA, mas abundante no inferior, principalmente em períodos de águas altas; comum nas lagoas marginais.

Referência:

Venere, Paulo Cesar; Garutti, Valdener.Peixes do Cerrado-Parque Estadual da Serra Azul-Rio Araguaia, MT. São Carlos: RiMa Editora, FAPEMAT, 2011.p.43.

);