Quando um viveiro florestal torna-se um viveiro educador: estudo de caso em uma Escola Classe do Distrito Federal

Autor(a):

Thiago Vinicius Pereira Leite

Resumo:

Realizar projetos de Educação Ambiental é um processo delicado e que deve ser feito de forma participativa, clara e objetiva; levando em consideração todo o contexto em que a comunidade onde o projeto será desenvolvido está inserida. Assim sendo, este trabalho visa utilizar a estrutura de um viveiro florestal como forma de educação ambiental para crianças do ensino fundamental da Escola Classe número 50, na EQNL 02/04, Setor L- Norte, em Taguatinga Norte, DF. O trabalho foi executado em duas etapas: a primeira foi a de reuniões, palestras e discussões com a comunidade da escola; e a segunda foi a execução propriamente dita do viveiro (de estrutura simples e econômica, de caráter permanente), contemplando práticas de germinação de sementes e produção de mudas de espécies nativas do Cerrado. Em seguida, foram efetuadas avaliações das atividades de educação realizadas, bem como documentação e feira cultural. A utilização da estrutura de um viveiro florestal como forma de educação ambiental para crianças, mostrou-se eficiente e cumpriu os objetivos propostos para este trabalho. O material produzido como: o vídeo, as fotos das atividades, os trabalhos desenvolvidos em sala de aula, o estande na feira cultural, demonstrou que o viveiro estimulou as atividades ambientais, que antes ocupava somente um bimestre do ano letivo e que passaram a ser tema nos quatro bimestres.

Referência:

LEITE, Thiago Vinicius Pereira. Quando um viveiro florestal torna-se um viveiro educador: estudo de caso em uma Escola Classe do Distrito Federal. 2008. 78 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais)-Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

Disponível em:

);