Populações tradicionais e conflitos socioambientais no cerrado: o caso do complexo de unidades de conservação de Terra Ronca-GO

Autor(a):

Hiran de Gusmão Trindade

Resumo:

O Cerrado é um dos cinco biomas brasileiros, formado por ecossistemas de savanas, matas, campos e matas de galeria que ocorrem na região central do Brasil, ocupando aproximadamente 21% do território do país. Considerado a savana mais rica do mundo, o Cerrado é um dos hotspots mundiais. É também espaço de vida e de trabalho para inúmeras comunidades indígenas, remanescentes de quilombo e diversas outras populações tradicionais que historicamente ocupam as paisagens desse bioma, tendo a ele se adaptado ecologicamente. Os sistemas produtivos dessas populações tradicionais se caracterizam, em geral, pela combinação entre atividades agrícolas, a criação de animais (especialmente gado) e o extrativismo de espécies nativas – atividades que juntas integram o que é chamado agroextrativismo. Para essas populações, é vital a conservação tanto dos recursos naturais, como também de seus territórios sociais, necessários à sua reprodução física, social e cultural. No Brasil, uma das estratégias para garantir a conservação da sociobiodiversidade e a reapropriação de áreas historicamente ocupadas, sob a perspectiva de seu uso comum e sustentável, tem sido a criação de Unidades de Conservação (UCs). Entretanto, tal estratégia nem sempre é eficaz. O presente trabalho aborda a criação de duas Unidades de Conservação contíguas, uma de proteção integral e outra de uso sustentável, na região de Terra Ronca, um dos últimos remanescentes de Cerrado no estado de Goíás. Não obstante a importância ambiental da região, a criação dessas duas UCs confinou a população local entre elas, deflagrando o conflito socioambiental que é focalizado neste estudo. Os dados foram levantados por meio de pesquisa qualitativa descritiva, em chave antropológica, através de observação direta e de entrevistas semiestruturadas. Os resultados sugerem que a criação dessas UCs gerou impacto direto sobre os sistemas produtivos dos habitantes locais e apontam para lições sobre o ordenamento territorial para fins de conservação e suas interfaces com o agroextrativismo, no contexto específico do Cerrado.

Referência:

TRINDADE, Hiran de Gusmão. Populações tradicionais e conflitos socioambientais no cerrado: o caso do complexo de unidades de conservação de Terra Ronca-GO. 2016. 138 f., il. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

Disponível em:

);