Modernização conservadora no Cerrado Gerais da Chapada Gaúcha – MG: um estudo de caso em Buraquinhos

Autor(a):

Thaís Hall Oliveira

Resumo:

Esta dissertação tem como objetivo identificar e compreender as mudanças no modo de vida tradicional da comunidade Buraquinhos (Chapada Gaúcha – MG) a partir do processo de modernização conservadora na região, especialmente no que se refere às formas de produzir e às práticas extrativistas. O atual quadro de devastação instalado no Cerrado está, em larga medida, relacionado à ocupação do seu espaço geográfico e à consolidação do modelo agropecuário produtivista que se tornou hegemônico a partir do processo conhecido como modernização da agricultura, elemento central da modernização conservadora no bioma. Neste território cerratense ameaçado, vive a comunidade de Buraquinhos constituída por 25 famílias recentemente certificadas pela Fundação Cultural Palmares (FCP) como quilombolas. Com as mudanças introduzidas com a modernização conservadora, moradores de Buraquinhos revelam, em suas narrativas, dicotomias criadas pelo modelo de ocupação territorial e modernização da agricultura; especialmente em sua postura de concentração de poderes e terras, desapropriação do território e impactos socioculturais e ambientais. Para tanto, a pesquisa trata se de um estudo de caso, de abordagem qualitativa. Os instrumentos previstos e utilizados na pesquisa foram a pesquisa documental, a pesquisa bibliográfica e a entrevista semiestruturada. As atividades de campo foram realizadas nos períodos de novembro de 2014, junho, agosto, setembro e novembro de 2015. A pesquisa demonstrou que a modernização conservadora no Cerrado Gerais da Chapada Gaúcha, precisamente em Buraquinhos, ocasionou diversas mudanças: nas práticas tradicionais/econômicas de se produzir e se alimentar; no meio ambiente, devido à contaminação do rio Pardo de uso da comunidade Buraquinhos, à degradação hídrica e à diminuição da sua disponibilidade; na paisagem e nas suas formas de uso, ao longo dos caminhos percorridos historicamente por essa população; no estabelecimento de estratégias, como resistência ao avanço da modernização sobre o território tradicional, através da autoidentificação como quilombola.

Referência:

OLIVEIRA, Thaís Hall. Modernização conservadora no Cerrado Gerais da Chapada Gaúcha – MG: um estudo de caso em Buraquinhos. 2016. 142 f., il. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

Disponível em:

);