Levantamento sobre plantas medicinais comercializadas em Goiânia: abordagem popular (raizeiros) e abordagem científica (levantamento bibliográfico

Autor(a):

Izabel Cristina Morais; Ludmila Divina Garcez Silva; Heleno Dias Ferreira; José Realino Paula; Leonice Manrique Faustino Tresvenzol.

Resumo:

Uma das formas de se pesquisar sobre plantas medicinais é a abordagem etnofarmacológica, que consiste em combinar informações adquiridas junto a comunidades locais que fazem uso da flora medicinal com estudos químico/farmacológicos realizados em laboratórios especializados. A seleção de espécies vegetais para pesquisa baseada na alegação de um dado efeito terapêutico em humanos pode se constituir num valioso atalho para a descoberta de fármacos, já que seu uso tradicional pode ser encarado como uma pré-triagem quanto à utilidade terapêutica em humanos, mesmo reconhecendo que estes usos caseiros não estão isentos de efeitos colaterais e toxicidade (SIMÕES, et al., 2004). Devido a fatores culturais advindo de uma economia predominantemente agro-pastorial a utilização de plantas medicinais como forma de terapia está naturalmente incorporada no dia-a-dia da população de Goiás. Este fato pode ser constatado tanto na capital, como nas cidades do interior pela presença do denominado “raizeiro”, que é procurado pela população, principalmente a de mais baixa renda, na busca de remédios para suas doenças. Em Goiânia é comum a presença de bancas com plantas ditas medicinais, sendo comercializada pelos raizeiros em feiras livres, mercados municipais, praças e avenidas (TRESVENZOL, et al., 1997). O objetivo do nosso trabalho foi realizar o levantamento das plantas medicinais comercializadas por raizeiros na cidade de Goiânia, verificar as espécies botânicas que estão sendo mais utilizadas pela população, de que forma estão sendo utilizadas, para qual finalidade e realizar um levantamento bibliográfico para verificar as informações científicas disponíveis sobre estas plantas, em especial nas áreas farmacológica e toxicológica, visando futuros trabalhos científicos.

Referência:

MORAIS, I.C. et al. Levantamento sobre plantas medicinais comercializadas em Goiânia: abordagem popular (raizeiros) e abordagem científica (levantamento bibliográfico). Revista Eletrônica de Farmácia.: v.2(1), p.13-16, 2015. 

);