Florística de trepadeiras nativas no bioma Cerrado

Autor(a):

Bruno Mesquita de Castro

Resumo:

Esse trabalho objetivou a realização de estudo florístico de trepadeiras nativas no bioma Cerrado com enfoque na elaboração de descrições e registro fotográfico. Para tal, foram consideradas como trepadeiras todos os indivíduos terrestres, herbáceos ou lenhosos, que utilizam suporte para sustentação. Foram coletados apenas indivíduos férteis e o esforço de coleta se concentrou em diferentes fitofisionomias no Distrito Federal e em Goiás, com algumas expedições em Minas Gerais. No total, foram coletadas 95 espécies, distribuídas em 55 gêneros e 26 famílias, das quais 72 espécies identificadas até o nível específico e para essas foram feitas as descrições e disponibilizado o registro fotográfico. O esforço de coleta resultou em novas ocorrências, sendo Merremia tuberosa (L.) Rendle (Convolvulaceae) para o Distrito Federal, Aristolochia eriantha Mart. & Zucc. (Aristolochiaceae) e Bonamia agrostopolis (Vell.) Hallier f. (Convolvulaceae) para o Estado de Goiás. Além disso, foi realizado levantamento de espécies de trepadeiras nativas para o bioma Cerrado e para o Distrito Federal, utilizando a Lista da Flora do Brasil (2015) e comparado quantitativamente com a lista de Mendonça et al. (2008) para o bioma Cerrado e a lista de Ramalho (2003) para o Distrito Federal .

Referência:

CASTRO, Bruno Mesquita de. Florística de trepadeiras nativas no bioma Cerrado. 2015. 65 f., il. Monografia (Bacharelado em Ciências Ambientais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

Disponível em:

);