Fenologia, emergência, morfologia e produção de mudas de Emmotum nitens (Benth.) Miers.

Autor(a):

Marcus Vinicius Prado 

Resumo:

Emmotum nitens (Icacinaceae) é uma das espécies do bioma Cerrado com os maiores valores de índice de importância entre as ocorrentes em Cerradões de Latossolos distróficos, porém pouco é conhecido sobre a sua reprodução. Este trabalho foi realizado em dez indivíduos adultos nas proximidades da Reserva Ecológica Cerradão, onde as árvores foram georreferênciadas com auxílio de um aparelho GPS; Laboratório de Biologia Vegetal e Viveiro da Embrapa Cerrados, Planaltina – DF. Os objetivos deste trabalho foram: 1) Verificar o ciclo reprodutivo da espécie através de suas fenofases. Os frutos de Emmotum nitens permaneceram por um longo período nos indivíduos adultos, com um efeito aparente de frutificação contínua, embora o que tenha ocorrido foram diferentes estádios de desenvolvimento, tamanho, amadurecimento e dispersão. 2) Realizar um protocolo de coleta e beneficiamento de frutos para a obtenção de diásporos e sementesisoladas. A imersão em água dos frutos por 48 horas proporcionou uma alteração da consistência do exocarpo (polpa) facilitando a remoção do mesmo. O tempo médio para beneficiar uma amostra de 100 frutos foi de ±15 min. ou 2 horas e trinta minutos para beneficiar (1000) mil frutos; o uso de um dispositivo metálico desenvolvido para a extração de sementes propiciou que estas fossem retiradas do interior dos diásporos intactas. 3) Verificar o efeito das condições fitossanitárias de diásporos e a viabilidade de sementes armazenadas em dois diferentes ambientes (câmara fria – CF e temperatura ambiente de laboratório – TA). Após o período de oito meses de armazenagem, através do teste de tetrazólio (1%), as sementes apresentaram uma viabilidade de 94 e 86% para TA e CF, respectivamente. 4) Avaliar através de experimentos em laboratório a emergência e desenvolvimento de plântulas a partir de diásporos e sementes isoladas. A porcentagem média de emergência a partir de sementes isoladas foi de 3 e 4% e 9 e 8%, para o primeiro e segundo experimentos montados em câmara de germinação a 25 °C, já a partir de diásporos nas mesmas condições, a germinação e emergência não ocorreu. 5) Ilustrar e caracterizar os aspectos morfométricos de frutos, diásporos, sementes e plântulas; onde foi caracterizado no fruto, diásporo e semente: O tamanho (comprimento, largura e espessura), características externas e internas, morfologia e tipo de germinação. Os frutos são do tipo drupóide, mesocarpos lenhosos, semente com embrião axial, cotilédones foliáceos e germinação fanerocotiledonar. As plântulas possuem protófilos simples, alternos e sistema radicular axial. As plântulas aos 180 dias atingiram uma média de 23,6 cm de altura e diâmetro do coleto de 2,36 mm. 6) Avaliar o crescimento em diferentes substratos (Solo de Cerradão; Solo de Cerradão + Areia e Solo Cerradão + Areia + Adubo); para a produção de mudas de Emmotum nitens. O delineamento experimental utilizado foi o DBC com 8 blocos x 3 tratamentos x 10 repetições. Foram avaliadas as medidas alométricas da parte aérea, da raiz, número de folhas, diâmetro do caule e a razão raiz/parte aérea. Na produção de matéria seca foi avaliada a massa seca da parte aérea, da raiz e a massa seca total. A emergência das plântulas de Emmotum nitens iniciou aos 28 dias após o plantio, estendo até os 95 dias. Não houve diferença significativa entre os tratamentos em relação às medidas de crescimento, número de folhas, diâmetro do coleto e na produção de massa seca total. O investimento de crescimento em raiz foi maior que o da parte aérea, porém, na produção de massa seca, o investimento na parte aérea foi o dobro em relação ao investimento na raiz. A espécie Emmotum nitens apresentou neste trabalho a produção de plântulas anômalas a partir de sementes isoladas; mas quando o plantio foi feito por diásporos (mesocarpos lenhosos + sementes) em condições de viveiro, obteve-se plantas normais.

Referência:

ALVES, Marcus Vinicius Prado. Fenologia, emergência, morfologia e produção de mudas de Emmotum nitens (Benth.) Miers. 2012. vii, 107 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012

Disponível em:

);