Estrutura da vegetação e potencial não madeireiro das espécies arbóreas e palmeiras na mata de galeria do córrego Cabeça-de-Veado, DF

Autor(a):

Takumã Machado Scarponi Cruz

Resumo:

Dentre as fitofisionomias que ocorrem no bioma Cerrado, as matas de galeria se destacam por possuírem elevada riqueza florística apesar de ocuparem pequena área. Ainda que parte destas seja protegida pela legislação, existem espécies com potencial de produtos florestais não madeireiros (PFNMs), que foram pouco investigadas por meio de inventários florestais e uso da fitossociologia, podendo essas espécies estar sendo perdidas pelo desmatamento. O presente estudo foi realizado na Mata de Galeria do córrego Cabeça-de-Veado, no Jardim Botânico de Brasília, Distrito Federal e teve como objeivos: Descrever a composição florística e estrutura fitossociológica; avaliar o potencial de uso não madeireiro das 30 espécies com maiores índices de valor de importância (IVI) e outras com algum uso já reconhecido, demonstrando ainda em qual (is) categoria (s) de uso se enquadram e parte (s) da planta que são utilizadas; descrever o local onde as 30 espécies com maiores IVIs ocorrem na área amostral: se dentro ou fora da Área de Preservação Permanente (APP); e avaliar a perda de espécies e PFNMs caso a área fora da APP fosse, hipoteticamente, desmatada. As espécies arbóreas e palmeiras vivas (DAP ≥ 5 cm) foram amostradas por meio de 110 parcelas de 100 m² (10 × 10 metros) em três transeções perpendiculares ao córrego Cabeça-de-Veado, totalizando 1,1 hectares. A avaliação do potencial não madeireiro das espécies e as partes das plantas utilizadas foram realizadas por meio de consultas bibliográficas. Os resultados obtidos indicaram riqueza de 162 espécies, distribuídas em 57 famílias botânicas e 118 gêneros, com Fabaceae (lato sensu) sendo a família mais rica e Inga e Ocotea os principais gêneros. Os Índices de Shannon-Wienner (H’) e Pielou (J’) obtidos foram 4,42 nats.ind.-1 e 0,87, respectivamente. A densidade absoluta foi 1.741 indivíduos (1.583 ind./ha) e a área basal 32,89 m²/ha. A distribuição diamétrica da comunidade apresentou
formato “J reverso”, indicando característica auto-regenerativa da comunidade. Em relação ao potencial de PFNMs, das 30 espécies com maiores valores de importância, os usos que destacaram foram para paisagismo e alimentar e as partes das plantas mais utilizadas foram sementes e frutos. Dessas 30 principais espécies, 15 possuem populações que ocorrem dentro e fora dos limites legais da APP e as outras 15 espécies, como Copaifera langsdorffii (Copaíba), Anadenanthera colubrina (Angico) e Hymenaea courbaril (Jatobá-da-mata), com ocorrência apenas fora da APP, não estando legalmente protegidas e podendo ser perdidos seus múltiplos produtos caso a parte da área estudada fosse desmatada. Os resultados destacam a Mata de Galeria do córrego Cabeça-de-Veado com expressiva riqueza e diversidade florística, refletida na variedade de PFNMs potencialmente disponíveis e que são utilizados por populações rurais e urbanas do Cerrado.

Referência:

CRUZ, Takumã Machado Scarponi. Estrutura da vegetação e potencial não madeireiro das espécies arbóreas e palmeiras na mata de galeria do córrego Cabeça-de-Veado, DF. 2011. 58 f. Monografia (Bacharelado em Engenharia Florestal)-Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

Disponível em:

);