Estimativa de biomassa e combustível em diferentes fitofisionomias do Cerrado

Autor(a):

Larissa Moreira Alves Granado

Resumo:

Apesar de toda importância ecológica do Cerrado, o bioma tem sido degradado devido ao desmatamento e as atividades antrópicas que têm alterado significativamente o regime do fogo, sejam elas por meio de prática direta de uso do solo ou indireta a partir de mudanças climáticas. Por contas dessas transformações, o Cerrado é um dos biomas vegetais mais ameaçados da América do Sul e necessita de melhorias na criação de políticas de manejo e conservação. O conhecimento das formações vegetais, juntamente com a quantificação de biomassa e carga de combustível, pode auxiliar no controle e na preservação, pois proporciona insumo para o manejo de áreas no Cerrado. Assim, o objetivo deste trabalho foi estimar a biomassa área da vegetação e a biomassa de combustível, utilizando dados derivados de sensoriamento remoto em diferentes fitofisionomias do Cerrado, a fim de gerar uma equação que capte a variação dessas variáveis dentro das fisionomias do Cerrado. Para isso, foi gerado uma regressão entre a biomassa e os índices de vegetação, em que a biomassa foi estimada a partir de equações alométricas e os índices de vegetação foram estimados a partir dos satélites RapidEye e Landsat 5 TM. A precisão das equações foi avaliada pela correlação entre os valores estimados e os observados (R²), pelo erro-padrão da média (E) e pela distribuição dos gráficos de resíduos. Após essa análise, foi realizada uma nova regressão correlacionando a biomassa com o combustível. A partir das equações geradas, foi possível obter o mapa de cobertura da biomassa aérea e do combustível. Os resultados mostraram que as equações de regressão para a quantificação da biomassa aérea e do combustível apresentaram significativos valores estatísticos. O índice de vegetação melhorado (EVI), com R²= 0,77 e E =51,1%, foi o melhor índice para estimativa de biomassa a partir do satélite Landsat 5 TM e o índice de diferença normalizada red-edge (NDRE), com R² = 0,87 e E= 30,39%, foi o melhor índice para estimativa de biomassa a partir de imagens do RapidEye. Baseado nos valores de biomassa foi gerado uma equação para estimativa da variação de combustível dentro das fitofisionomias. A equação apresentou R² = 0,78 e erro padrão de 18%, portanto os índices de vegetação foram eficazes na estimativa de biomassa e combustível para diferentes fitofisionomias do Cerrado. Com esses dados, foram gerados mapas de distribuição de biomassa aérea e combustível. Tais informações são fundamentais para definição de política de manejo, controle e prevenção de incêndios e até mesmo na mitigação da emissão de gases do efeito estufa.

Referência:

GRANADO, Larissa Moreira Alves. Estimativa de biomassa e combustível em diferentes fitofisionomias do Cerrado. 2019. 71 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.

Disponível em:

);