Efeito de diferentes usos do solo no cerrado sobre a composição da fauna edáfica

Autor(a):

Angela Pereira Bussinger

Resumo:

A fauna edáfica é diversa e dependente de uma combinação de fatores que podem ser modificados pelo uso do solo, como a viabilidade de teores de nutrientes e matéria orgânica, capacidade de retenção de água e microrganismos, além de apresentar padrões de dominância de grupos edáficos, também relacionados ao uso e apesar de sua importância nos ecossistemas, tais relações ainda são pouco conhecidas, especialmente para o Cerrado. Este estudo avaliou a influência de diferentes usos de solo sobre organismos da fauna edáfica (enquitreídeos e macrofauna) em área de Cerrado, considerando ainda os efeitos das propriedades físicas, químicas e microbiológicas do solo. O estudo foi conduzido na Embrapa Cerrados, Planaltina- DF, e os sistemas de uso do solo (SUS) incluem Integração Lavoura- Pecuária- Floresta (ILPF);; pastagem de Urochloa brizantha com três anos após lavoura (Past3);; Sistema silvipastoril com Leucaena leucocephala e Urochloa brizantha (Leu);; plantio clonal de Eucalyptus sp.(Euc);; pastagem de Urochloa brizantha com seis anos (Past6) e vegetação nativa de Cerradão (Cer). A amostragem da macrofauna foi realizada em um transecto de acordo com o método TSBF. A macrofauna foi identificada ao nível de famílias e os dados expressos em densidade. Os dados de densidade também foram expressos em percentual por camada para análise da distribuição vertical. Para minhocas e enquitreídeos, a identificação foi realizada até o nível de gênero. Os atributos físicos mensurados foram densidade do solo, volume total de poros, microporosidade, macroporosidade e condutividade hidráulica saturada. Os atributos químicos foram pH, matéria orgânica do solo, os teores de Al3+, Ca2+, Mg2+, P, K+, C, N e relação C:N. Os atributos microbiológicos mensurados foram a atividade enzimática da fosfatase ácida e as biomasas microbianas do C e do N. As médias dos atributos físicos, químicos e biológicos foram comparadas pelo teste de Tukey (p<0,01) e utilizados boxplots para analisar a normalidade da distribuição dos dados em cada SUS. Para avaliar as correlações entre os atributos do solo e a macrofauna foi realizada uma análise multivariada de componentes principais (PCA). Para minhocas e enquitreídeos foi realizada uma análise de Cluster e para avaliar a influência dos atributos do solo na densidade e riqueza desses organismos, foi aplicado o modelo de regressão múltipla de Poisson. Para macrofauna foram amostrados 84.896 indivíduos, distribuídos entre 14 ordens e 29 famílias e os grupos mais abundantes foram representados por Isoptera, Coleoptera, Oligochaeta e Formicidae. A área de Cerradão se diferenciou pela PCA dos demais tipos de uso do solo e apresentou uma maior diversidade de grupos associados a esse sistema. Para a distribuição vertical, a maior ocorrência da macrofauna foi observada na camada de 0- 10 cm de profundidade do solo na maioria das áreas avaliadas, com exceção de Euc e Leu, que apresentaram maiores densidades na camada de 10- 20 cm. Verificou- se que os atributos químicos e microbiológicos estão relacionados à abundância e à riqueza dos grupos da macrofauna, mas não foram observadas influências significativas para os atributos físicos. Os sistemas de uso do solo influenciaram a densidade e a composição da fauna edáfica, com uma tendência de simplificação desses organismos em áreas sob monocultivo, além de promover modificações na maioria dos atributos físicos, químicos e microbiológicos do solo. Para minhocas e enquitreídeos foi encontrado um total de 37.686 enquitreídeos e 5.280 minhocas. A análise de Cluster permitiu a separação dos sistemas de uso do solo, tanto para enquitreídeos como para minhocas, indicando que esses organismos respondem ao tipo de vegetação e manejo adotado em cada área. Houve dominância de gêneros com ocorrência de espécies nativas, cosmopolitas e peregrinas, especialmente nas áreas com pastagem, indicando que também são afetados pelo manejo do solo. A ocorrência de gêneros de enquitreídeos e gêneros e espécies de minhocas se mostrou dependente de uma combinação de fatores físicos, químicos e microbiológicos, em maior ou menor grau. Embora tais relações ainda não sejam claras para determinados gêneros e a baixa densidade de alguns indivíduos dificultem o estabelecimento das mesmas, estas podem ser utilizadas como classificadoras da qualidade ou degradação de um solo ou ecossistema, principalmente quando se observa a presença de grupos exóticos ou de ampla distribuição.

Referência:

BUSSINGER, Angela Pereira. Efeito de diferentes usos do solo no cerrado sobre a composição da fauna edáfica. 2018. xii, 107 f., il. Tese (Doutorado em Ciências Florestais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

Disponível em:

);