Campanha: "Cerrado Berço das Águas" - 2020

O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro em extensão, ocupando aproximadamente 24% do território nacional; compreende regiões de elevadas altitudes na porção central do país como em encraves no Amapá, Roraima e Amazonas. 

O Cerrado possui alta concentração de nascentes -19.864 nascentes – 23,6% de todas as nascentes brasileiras, por isso o Cerrado é conhecido como berço das águas.   

O espaço geográfico ocupado pelo Cerrado desempenha um papel fundamental no processo de distribuição dos recursos hídricos pelo país, constituindo-se o local de origem das grandes bacias/regiões hidrográficas brasileiras e do continente sul-americano, fenômeno apelidado de “Efeito Guarda-Chuva”.  

Das oito grandes bacias hidrográficas do Brasil, seis são abastecidas pelo Cerrado: Amazônica, Araguaia/Tocantins, Atlântico Norte/Nordeste, São Francisco, Atlântico Leste e Paraná/ Paraguai. O maior potencial hídrico do Cerrado não está nas águas da superfície, mas nos lençóis freáticos que estão nas camadas mais profundas do solo, funciona como uma gigantesca caixa d’água que irriga as grandes bacias hidrográficas.  

As raízes profundas das árvores do Cerrado são responsáveis por absorver a água da chuva e depositá-la em reservas subterrâneas, os aquíferos. A recarga de três aquíferos subterrâneos: Bambuí, Urucuia e Guarani, que se formaram há milhões de anos, são reabastecidos pela chuva que se infiltra no solo.  Pelas características de seu solo, o Cerrado tem uma capacidade boa de infiltração da água da chuva e armazenamento dessa água que é liberada para os rios. 

As águas do Cerrado são responsáveis pela geração de energia elétrica usada por nove de cada dez brasileiros. A navegação, a indústria, o turismo e o lazer, o abastecimento de cidades, a irrigação de terras agrícolas e a própria população que toma a água desses rios que têm suas nascentes no Cerrado, se beneficiam deste bioma.

Por exemplo, 97% das águas que alimentam a Bacia do São Francisco nascem do Cerrado e várias comunidades ribeirinhas como quilombolas; os Vazanteiros que estão às margens do São Francisco na região do norte de Minas ou as comunidades Fecho de Pasto, comunidades camponesas do Cerrado da Bahia são delimitadas por morros, árvores, riachos, córregos, grotas, grotões, rios, baixas, baixões, que dependem das águas do velho Chico. A regularização das comunidades tradicionais é também a garantia das condições de inúmeros rios, nascentes e lençóis freáticos permaneçam vivos e perenes contribuindo com fornecimento de água para toda população da bacia do Rio São Francisco.

A cobertura vegetal do Cerrado é fundamental para garantir os fluxos hídricos entre as diversas regiões do Brasil, garantindo o transporte de umidade e vapor d’água da bacia amazônica para as regiões Sul e Sudeste do país e permitindo a regularidade do regime de chuvas. Precisamos da mata nativa para captar a água da chuva para abastecer os lençóis freáticos e, consequentemente, os aquíferos. Se desmatamos o Cerrado, haverá menor volume de água que chegará aos rios. O Cerrado é o elo entre os cinco biomas brasileiros através de suas águas e todos os biomas são interdependentes. Por isso a Campanha tem como objetivo mostrar o Cerrado para a sociedade brasileira e a importância das suas águas; o Brasil precisa do Cerrado! 

Publicado por admin

Cerratense de corpo e alma, trabalho na Área Educação Ambiental e Ecologia Humana na Faculdade de Educação da Universidade de Brasília.