Avaliação de genótipos de girassol em ambientes no Cerrado do Distrito Federal

Autor(a):

Ellen Grippi Lira

Resumo:

O girassol (Helianthus annuus L.) é uma importante espécie que oferece óleo de alta qualidade. Originário da América do Norte, hoje é cultivado em diversos países, fato que se deve à evolução dos programas de melhoramento. Esta cultura é também caracterizada pela sua adaptabilidade, apresentando-se como uma opção factível para o cultivo em safrinha. No Brasil, buscam-se materiais com alto teor de óleo, boa produtividade e resistência a condições abióticas e bióticas. O girassol é uma cultura de potencial para o Cerrado brasileiro, em virtude da viabilidade de seu uso em sistemas de rotação ou sucessão de cultivos em regiões produtoras de grãos. Nesse sentido, são necessários estudos e ações de pesquisa que forneçam informações quanto ao desempenho dos genótipos de girassol em diferentes locais e épocas de plantio, possibilitando o sucesso de programas de melhoramento. Neste trabalho, objetivou-se avaliar e caracterizar o comportamento de genótipos de girassol em ambientes no Cerrado do Distrito Federal, levando em consideração parâmetros genéticos, características morfoagronômicas, severidade da Mancha-de-alternária e qualidade de sementes. Foram avaliados 16 genótipos de girassol, no ano de 2014, em áreas experimentais da Embrapa – Centro de Pesquisa Agropecuária dos Cerrados, em Planaltina, DF, situada a 15⁰ 35′ 30″ de latitude Sul, 47⁰ 42′ 30″ de longitude Oeste e a altitude de 1.007 m e da Embrapa Produtos e Mercado, no Recanto das Emas, DF, a 15⁰ 54′ 53″ de latitude Sul, 48⁰ 02′ 14″ de longitude Oeste e a altitude de 1.254 m. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso com quatro repetições. Análises de variância evidenciaram diferenças significativas entre os genótipos. O ambiente influenciou o desempenho dos genótipos e a severidade da Mancha-de-alternária. GNZ NEON, M734, SYN 3950HO, AGUARÁ 06, SYN 045, MG 360 e HELIO 251 obtiveram melhor desempenho no teste de condutividade elétrica. Houve maior presença de sintomas no terço inferior das plantas. Os genótipos CF 101, ADV 5504, BRS G42, HELIO 250, SYN 3950HO, BRS 323, HELIO 251, AGUARÁ 06 e AGUARÁ 04 expressaram menores valores de AACPD no terço inferior. Os valores de AACPD encontrados foram baixos. As condições ambientais não favoreceram a Mancha-de-alternária. HELIO 251, MG 305 e SYN 045 obtiveram os maiores rendimentos. BRS G42, CF 101 e BRS 323 apresentaram plantas mais baixas e ciclo mais precoce.

Referência:

LIRA, Ellen Grippi. Avaliação de genótipos de girassol em ambientes no Cerrado do Distrito Federal. 2016. viii, 84 f., il. Dissertação (Mestrado em Agronomia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

Disponível em:

);