Análise da sobrevivência de sementes arbóreas comuns no cerrado mediante choques térmicos

Autor(a):

Rafaela Andrade Couto

Resumo:

O fogo é um importante elemento na savana brasileira, molda as fisionomias do Cerrado e está entre os determinantes da ocorrência das espécies no bioma. As espécies do Cerrado evoluíram e se adaptaram de acordo com os regimes de fogo. Altas temperaturas interferem em aspectos das sementes, como viabilidade, vigor, padrão germinativo e dormência. O trabalho avaliou a sobrevivência e germinação das sementes de Plathymenia reticulata, Stryphnodendron adstringens e Tabebuia aurea, selecionadas e coletadas em duas regiões diferentes, Mato Grosso e Minas Gerais, submetidas aos tratamentos de choques térmicos, a 100°C e 200°C, durante 1 e 3 minutos, análise de presença ou não de germinação. As sementes das três espécies amostradas apresentaram diminuição do potencial germinativo, principalmente quando expostas à temperatura mais elevada durante maior tempo de permanência, com até 100% de sementes não germinadas. Sementes coletadas no estado do Mato Grosso apresentaram maior porcentagem de germinação, nos tratamentos de choque térmico e controle, do que aquelas coletadas no estado de Minas Gerais. A espécie que apresentou maior porcentagem de sobrevivência foi S. adstringens.

Referência:

COUTO, Rafaela Andrade. Análise da sobrevivência de sementes arbóreas comuns no cerrado mediante choques térmicos. 2019. 45 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Agronomia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2019.

Disponível em:

);