Agroecologia em Rede no Bico do Papagaio

A Alternativas para a Pequena Agricultura no Tocantins (APA-TO), organização integrante da Campanha Nacional em Defesa do Cerrado, lançou o primeiro episódio da Websérie produzida sobre experiências agroecológicas do Bico do Papagaio, região situada no extremo norte do estado do Tocantins.

 

A iniciativa pretende compartilhar as experiências praticadas pelos agricultores camponeses, quebradeiras de coco e quilombolas que participam da Rede Bico Agroecológico na região tocantina, apresentando alternativas para a produção de alimentos, cuidado com animais, reaproveitamento e armazenamento de água, implantação de cisternas, apicultura, cuidados com as hortas e também práticas que podem facilitar o manejo de cultivos agroecológicos.

 

Vale ressaltar que, na série, cada episódio apresenta uma experiência, mostrando para os espectadores alternativas acessíveis e sustentáveis para melhorar o dia-a-dia no campo e como é possível viver em harmonia com a biodiversidade. Por exemplo, a reutilização de águas cinzas, que consiste em um sistema de escoamento da água utilizada na casa, para as plantas. Ou então, dicas que podem estar faltando para um iniciante no cultivo de hortaliças, um modelo de canteiros, como o canteiro econômico, que economiza, principalmente, água e tempo do agricultor.

Confira os episódios dessa Websérie abaixo:

Agroecologia em Rede no Bico do Papagaio

 

“Agroecologia em Rede no Bico do Papagaio” nos apresenta a história de Dona Emília, que é quebradeira de coco, agricultora familiar, mãe e avó. No vídeo, Emília fala sobre a autonomia das mulheres por meio do trabalho, geração de renda e sua produção agroecológica no Assentamento Sete Barracas, em São Miguel do Tocantins (TO). Dona Emília é muito atuante nos movimentos sociais do Bico do Papagaio, ela chegou à região em 1971 e permanece até hoje. A experiência que ela compartilha é a da horta agroecológica, mas principalmente da autonomia das mulheres por meio do trabalho, da geração de renda e independência financeira. A #horta​ é uma fonte de renda e de alimentação saudável na mesa, pois Dona Emília cultiva suas plantas livres de agrotóxicos. Para ela, trabalhar lhe deu um fôlego novo. “Quando eu comecei a trabalhar, ter meu próprio dinheiro, eu renasci”, afirma Emília.

 

A produção é uma iniciativa da APA-TO em parceria com a Rede Bico Agroecológico. 

);