Variabilidade da precipitação no Cerrado e sua correlação com a mudança no uso da terra

Autor(a):

Juliana de Oliveira Campos

Resumo:

Simulações com modelos climáticos indicam que a conversão do Cerrado natural em lavouras e pastagens tem o potencial de alterar a precipitação regional por meio de alterações nos processos biofísicos da vegetação, incluindo mudanças no albedo, rugosidade aerodinâmica e evapotranspiração. Entretanto, isso ainda não foi comprovado por dados observados. Uma vez que aquele bioma já perdeu metade da sua cobertura natural, faz-se necessário entender a relação vegetação – clima, e verificar se impactos da conversão do Cerrado na precipitação já são evidentes. Assim, o objetivo do presente estudo foi avaliar a variação da precipitação regional do Cerrado nas últimas décadas, e correlacioná-la com o desmatamento do bioma. Para tanto, foram realizadas diferentes análises de tendência de séries temporais de precipitação anual e mensal de 125 estações pluviométricas do Cerrado, no período entre 1977 e 2010, incluindo LOWESS (LW), Mann-Kendall (MK), Theil-Sen (TS), e Pettitt (PT). O estudo analisou o bioma Cerrado como um todo, bem como suas regiões Setentrional e Meridional separadamente, já que seus padrões de desmatamento são distintos. O teste de MK indicou que 71% dos postos analisados apresentaram tendência de queda em P anual, sendo que 14% apresentaram tendência significativa a 95% de probabilidade, predominantemente na região Meridional, com maior desmatamento. Apenas 28% dos postos apresentaram tendência de aumento, sendo que 1% desses foi significativo. Em média, a precipitação noCerrado diminuiu 8,4% (125mm) no período estudado, e 10,6% e 4,7% nas regiões Meridional e Setentrional, respectivamente. Apesar da correlação negativa (r = – 0,31) observada entre a precipitação média anual no bioma e o desmatamento não ter sido significativa (p =0,07) no período, outras evidências indicam uma relação já existente entre aquelas variáveis. Dentre elas estão a maior redução da precipitação nas áreas desmatadas em oposição às áreas com vegetação e a similaridade com os resultados esperados pelos modelos climáticos, como o prolongamento da estação seca.

Referência:

CAMPOS, Juliana de Oliveira. Variabilidade da precipitação no Cerrado e sua correlação com a mudança no uso da terra. 2018. xvi, 132 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

Disponível em:

);