Sapajus xanthosternos, (Wied-Neuwied, 1826)

Nome(s) popular(es):

Macaco-prego-do-peito-amarelo.

Características físicas:

O tamanho total da cabeça e do corpo equivale a 46,5 cm em ambos os sexos, assim como o tamanho da cauda com 87 cm. Já o peso pode variar entre 1,37 a 3,4 Kg nas fêmeas e 1,3 a 4,8 Kg nos machos. Destacam-se pela coloração da região ventral e do peito que geralmente é avermelhada e amarela, porém, diferencia-se de outras espécies do gênero Sapajus por não possuírem tufos aparentes.

Ecologia:

Os Sapajus xanthosternos (macaco-prego-do-peito-amarelo), é uma espécie endêmica ao Brasil que ocorre em Minas Gerais, Bahia e Sergipe. Os grupos dessa espécie podem ser de 9 a 27 indivíduos, apresentando um sistema de acasalamento poligâmico. A dieta desses animais é bastante generalista, sua alimentação é classificada como onívora, dessa forma, devido seu aparelho digestivo, os Sapajus são adaptados a ingerirem diversos alimentos. Portanto, sua dieta é composta por frutas, folhas, sementes, raízes, grãos, ovos de pássaros, insetos e pequenos roedores.

Distribuição geográfica:

É endêmico ao Brasil, ou seja, restrito a essa região geográfica, sendo encontrado na Bahia, Minas Gerais e Sergipe. Ocorrendo em florestas ombrófila densa, submontanha, mangue, florestas semidecídua em áreas de cerrado e caatinga arbórea e arbustiva.

Status de conservação e Ameaças:

Criticamente em Perigo (EN): essa classificação é devido ao exagerado declínio populacional. As ameaças para essa espécie continuam constantes, sendo causadas principalmente pelo Homem, sendo as seguintes: perda, fragmentação, desconexão de habitat, assentamentos rurais, agricultura, pecuária, incêndios e caça (ICMBio).

Referências:

Canale, G. R.; Alonso, A. C.; Martins, W. P. 2015. Avaliação do Risco de Extinção de Sapajus xanthosternos (Wied-Neuwied 1826) no Brasil. Processo de avaliação do risco de extinção da fauna brasileira. ICMBio.

);