Extrativismo vegetal como estratégia de desenvolvimento rural no Cerrado

Autor(a):

Sued Wilma Caldas Melo

Resumo:

Esta dissertação tem como objetivo investigar o potencial do extrativismo vegetal em contribuir para as condições de vida das famílias agroextrativistas e para o Desenvolvimento Rural no Cerrado. Este bioma destaca-se por prestar serviços ambientais importantes para o equilíbrio ecológico do planeta e por abrigar um sem-número de comunidades tradicionais que têm na utilização dos seus recursos fonte de sobrevivência física e cultural. Entretanto, encontra-se ameaçado pelo modelo de desenvolvimento hegemônico que, fomentando a expansão da produção de commodities para exportação em sistemas de grandes monoculturas, devasta a sua biodiversidade e dificulta as condições de existência das comunidades que ali vivem e trabalham. O ponto de partida desta dissertação tem ligação com as discussões acerca das implicações negativas em termos ambientais, sociais e econômicos deste desenvolvimento predominantemente economicista e com o debate a ele atrelado a respeito da necessidade de se criar alternativas de ocupação e utilização dos recursos do Cerrado a partir de modelos mais sustentáveis mais sustentáveis e includentes. Iniciativas inseridas na abordagem de desenvolvimento rural que procuram ampliar os objetivos do desenvolvimento para abranger não apenas crescimento econômico, mas principalmente aspectos de cunho social que promovam mudanças positivas nas vidas das comunidades rurais, como redução das desigualdades, mitigação da pobreza e criação de bem estar social, condizentes com a preservação do meio ambiente. Desta forma, procurou-se articular análises sobre o desenvolvimento rural com discussões sobre o extrativismo e suas potencialidades em contribuir para a melhoria das condições de vida, para o aumento e diversificação das fontes de renda e para conservação dos recursos naturais. A pesquisa de campo foi realizada no Projeto de Assentamento Vale da Esperança, especialmente junto às famílias agroextrativistas e a Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares do Vale da Esperança. As informações e os dados coletados e analisados apontam o extrativismo vegetal realizado pelos Povos do Cerrado como uma estratégia de desenvolvimento rural capaz de contribuir para o aumento e diversificação das fontes de renda, para a melhoria da alimentação, para a manutenção do patrimônio cultural e para a preservação das áreas remanescentes do bioma.

 

Referência:

MELO, Sued Wilma Caldas. Extrativismo vegetal como estratégia de desenvolvimento rural no Cerrado. 2013. xiii, 197 f., il. Dissertação (Mestrado em Agronegócio)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

Disponível em:

);