Diversidade beta na vegetação da bacia do Rio Paracatu - MG

Autor(a):

Fernanda Gomes Ferreira

Resumo:

A grande importância ecológica do Cerrado o torna conhecido dentre os principais biomas em termos de riqueza e biodiversidade. Desta forma, para que a vegetação do Cerrado seja efetivamente protegida, são necessários estudos que reconheçam os arranjos nas comunidades e seu grau de heterogeneidade florística, que podem ser estudados por meio de parâmetros de diversidade em escalas regionais e locais. Conhecer as diversidades alfa e beta, bem como obter informações a respeito da estrutura de áreas no Cerrado, é de fundamental importância para delinear estratégias de recomposição de ambientes degradados, selecionar áreas para conservação com base em critérios ecológicos, descrever padrões fitogeográficos em escala regional, bem como os processos biológicos nesta vegetação. Este trabalho testa a hipótese de que na bacia do Rio Paracatu a sobreposição de espécies na flora é alta, por isso a diversidade beta naquela região é baixa. Para tanto, os principais objetivos deste trabalho foram: estudar a estrutura na comunidade do cerrado sentido restrito associado à Neossolo Flúvico localizado na bacia do Rio Paracatu (Capítulo: Diversidade e estrutura no cerrado sentido restrito em Neossolo Flúvico nas margens do rio Paracatu, Paracatu (MG)) e investigar a florística e a sobreposição de espécies na Bacia do Rio Paracatu (Capítulo: Diversidade alfa e beta entre quatro comunidades florestais na bacia do Rio Paracatu-MG, Brasil). Para atingir os objetivos propostos foram realizados levantamentos fitossociológicos em quatro fitofisionomias: cerrado sentido restrito, cerradão, mata seca decídua e mata ciliar, todos localizados na bacia do Rio Paracatu – MG. Cada fitofisionomia foi amostrada conforme metodologia descrita no Manual para o Monitoramento de Parcelas.
Permanentes nos Biomas Cerrado e Pantanal.

Referência:

FERREIRA, Fernanda Gomes. Diversidade beta na vegetação da bacia do Rio Paracatu – MG. 2010. 99 f., il. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais)-Universidade de Brasília, Brasília, 2010.

Disponível em:

);