Degradação e conservação do cerrado : uma história ambiental do estado de Goiás

Autor(a):

Carlos Christian Della Giustina

Resumo:

A presente tese tem como objetivo compreender o processo histórico de degradação e de conservação da natureza empreendidas no bioma Cerrado, no estado de Goiás. Para tanto, foram estudados o ambiente natural e os modos de vida das diferentes sociedades que ocuparam este território, ao longo dos períodos pré-colonial, colonial, imperial e republicano. Em cada período da história foram avaliados os principais recursos naturais utilizados e os passivos ambientais decorrentes dos processos produtivos coevos. Por fim, foram estudadas as principais estratégias conservacionistas, que buscaram a proteção dos remanescentes de vegetação nativa no estado. A pesquisa envolveu a consulta da literatura especializada, documentos históricos, censos demográficos e agropecuários, a base cartográfica oficial e as observações de campo. Os resultados mostraram que os tipos de recursos naturais disponíveis foram fundamentais para a configuração do povoamento e dos processos produtivos no estado. No período pré-colonial, os primeiros recursos naturais a promoverem a imigração de seres humanos para o cerrado foram os frutos, os animais para, as matérias primas minerais e o solo, utilizado para a agricultura. No período colonial, o ouro foi o principal atrativo. No período imperial com a decadência das minas auríferas, a pecuária passou a ser a principal atividade econômica. No período republicano, as atividades agropecuárias foram incrementadas pelo incentivo do Estado e pela melhoria da infraestrutura. Até a década de 1970, as atividades agropecuárias eram desenvolvidas principalmente em solos férteis. Nessas áreas ocorriam formações florestais denominadas de Mato Grosso de Goiás. Esse tipo de vegetação foi quase integralmente devastado. Após essa década, com a chamada “revolução verde”, solos menos férteis passaram a integrar as áreas agricultáveis. Com isto outros ecossistemas, como o Cerrado sentido restrito, passaram a ser ameaçados pela expansão das fronteiras agrícolas e pelo crescimento das cidades. Por outro lado, as políticas públicas de conservação do cerrado foram lentas e não foram suficientes para proteger a natureza no estado de Goiás. Estratégias como a gestão biorregional e a criação de unidades de conservação de proteção integral podem contribuir para a mudança na tendência de degradação do Cerrado.

Referência:

DELLA GIUSTINA, Carlos Christian. Degradação e conservação do cerrado : uma história ambiental do estado de Goiás. 2013. 210 f., il. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

Disponível em:

);