Comercialização de 10 toneladas de sementes nativas do Cerrado

Restaurar o Cerrado é um grande desafio devido às peculiaridades do bioma, como a diversidade de vegetação mesclando florestas, campos e savanas. A técnica mais comum de restauração para florestas, o plantio de mudas, tem limitações para as savanas e campos. Nesse contexto, a técnica da semeadura direta permite plantar arbustos e gramíneas a um menor custo e com maior eficiência contribuindo para a restauração em larga escala, com sementes de base comunitária promovendo a inclusão social e contribuindo para a conservação da sociobiodiversidade.

 •   8500 kg de sementes coletadas
•   101 espécies de plantas nativas
•   77 Coletores de sementes nativas
•   R$ 600.651,62 repassados a Associação Cerrado de Pé
Com um resultado expressivo, em 2022, a Rede de Sementes do Cerrado (RSC) comercializou quase 10 toneladas de sementes nativas do Cerrado, parte delas foram utilizadas no projeto Águas Cerratenses: semear para brotar. Foram coletadas na região da Chapada dos Veadeiros 8.500 kg de sementes que vieram de diversas cidades como Cavalcante, na região da comunidade Kalunga do Vão do Moleque, Teresina de Goiás, Alto Paraíso e Colinas do Sul. A totalidade das vendas deve-se levar em conta o estoque das espécies coletadas nos anos anteriores. A comercialização destas sementes beneficia diretamente a renda das famílias dos coletores, 70% delas são coordenadas por mulheres. 
Com o Projeto Águas Cerratenses foram restaurados 155 hectares de área. Já no projeto Restauração Inclusiva em Escala no Cerrado os números totalizam 100 hectares sendo: 35 hectares na APA Cavernas do Peruaçu, em Januária (MG); 10 hectares em Alto Paraíso (GO), no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros; e Cinco hectares em Montezuma (MG), na Reserva do Desenvolvimento Sustentável Nascentes Geraizeiras.


Encontro do Redário


Em setembro, dois anos após contato apenas pela internet, aconteceu em Alto Paraíso de Goiás (GO) um encontro que reuniu 80 pessoas de 20 redes e grupos de sementes, atuando em 12 estados e cinco biomas do Brasil. O objetivo foi discutir sobre o Redário, uma iniciativa que visa ampliar a escala e a qualidade da restauração ecológica dos biomas por meio de relações comerciais baseadas no diálogo, respeito mútuo, equilíbrio de forças e apoio técnico.

 

 Entre 31 de outubro a 15 de novembro, uma equipe esteve em Eldorado (SP) separando as sementes para preparação das muvucas. A ação resultou em 16 toneladas de sementes de 170 espécies provenientes de diversos estados que foram destinados a 47 projetos de restauração por meio da Muvuca e da semeadura direta de aproximadamente 600 hectares. Destas, 1 tonelada é proveniente da Rede de Sementes do Cerrado.

 

Fonte: https://www.rsc.org.br/noticias/rsc-comercializou-quase-10-toneladas-de-sementes-nativas-em-2022

);