Bothrops moojeni Hoge, 1966

Nome(s) popular(es):

Jararaca e Maia.

História natural:

Bothrops moojeni Hoge, 1966 é uma das espécies mais comuns de se encontrar no Cerrado. Possui dentição solenóglifa, e sua alimentação é baseada em anfíbios anuros e lagartos, quando juvenil, e em pequenos mamíferos quando adulta. Seus displays defensivos são esconder a cabeça, achatar o corpo dorso-ventralmente, vibrar a ponta da cauda e desferir botes. Seu nome científico é uma homenagem à João Moojen, zoólogo brasileiro.

Distribuição:

Todo o Cerrado.

Referências:

Nogueira, C., Sawaya, R.J. & Martins, M. (2003). Ecology of the Pitviper, Bothrops moojeni, in the Brazilian Cerrado. Journal of Herpetology 37(4):653-659

 

Sawaya, R.J., Marques, O.A.V., Martins, M. (2008). Composição e história natural das serpentes do Cerrado de Itirapina, São Paulo, sudeste do Brasil. Biota Neotropica 8(2): 127-149

 

França, F.G.R. & Braz, V.S. (2013). Diversity, activity patterns, and habitat use of the snake fauna of Chapada dos Veadeiros National Park in Central Brazil. Biota Neotropica 13(1): 74-85

);