Avaliação da produção de enzimas celulolíticas e hemicelulolíticas por fungos isolados do cerrado, costa marinha brasileira e da Antártica, utilizando casca de soja como substrato

Autor(a):

Catarina Bernardes Pereira

Resumo:

Em razão do Brasil exercer grande atividade agrícola, são gerados enormes volumes de resíduos que são rotineiramente acumulados no meio ambiente, com destaque para a soja. O reaproveitamento desses recursos naturais disponíveis abundantemente, possibilita a produção de diversos metabólitos de interesse industrial obtendo produtos de maior valor agregado, através de tecnologias de baixo impacto ambiental, baixo custo, consumindo menos recursos e simplificando o processo. Relatam-se diversas produções enzimáticas através de processos biotecnológicos de fungos filamentosos em meios contendo resíduos da agroindústria. Dentro dessa visão, o trabalho objetivou avaliar a produção de enzimas celulolíticas e hemicelulolíticas de fungos isolados do cerrado, costa marinha brasileira e da Antártica, utilizando casca de soja como substrato. Em sua primeira etapa, foi realizando o isolamento de 58 fungos endofíticos de 13 espécies de plantas nativas do Cerrado. Posteriormente foi realizado o processo de fermentação submersa (SF) de 104 fungos avaliando-se suas capacidades de produção enzimática. Uma triagem foi feita e 3 produtores de cada bioma (9 fungos) passaram também por fermentação em estado sólido (SSF). Os 18 extratos enzimáticos tiveram suas características físico-químicas analisadas quanto ao melhor pH e temperatura. Os resultados obtidos indicam que a casca de soja é um ótimo substrato na produção de xilanase, mananase, carboximetilcelulase (CMCase) e β-glicosidase. Os cultivos apresentaram enzimas com melhor atividade em pH 5,4 para xilabase, mananase e CMCase, e pH 4,8 para β-glicosidase. A faixa de temperatura ótima se manteve entre 40 ºC e 60 ºC para todos as enzimas em ambos os tipos de fermentações. As atividades mensuradas mostraram-se mais expressivas para xilanase atingindo cerca de 14 UI/mL. Foi possível observar um aumento de atividade enzimática nos cultivos de fungos do cerrado quando cultivados em SSF. Dessa forma, os resultados permitem concluir que os fungos estudados apresentam potencial para a produção das enzimas celulolíticas e hemicelulolíticas através de SF e SSF em um meio de baixo valor agregado apresentando assim interesse biotecnológico.

Referência:

PEREIRA, Catarina Bernardes. Avaliação da produção de enzimas celulolíticas e hemicelulolíticas por fungos isolados do cerrado, costa marinha brasileira e da Antártica, utilizando casca de soja como substrato. 2016. 117 f. il., Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas)–Faculdade de Ciências de Saúde, Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

Disponível em:

);