Annona sylvatica

Nomes populares

Araticum-do-campo, alchexú, araticu, araticu-da-mata, araticum,

araticum-grande, bananinha, biriba, cortiça, cortiça-de-comer, embira-vermelha, pinha

Partes utilizadas

Entrecasca, folhas, fruto, sementes

Descrição

É um parente rústico da fruta-do-conte (Annona squamosa) e da graviola (Annona muricata) (AMERICANO, 2015). O araticum-do-campo ocorre no Nordeste (Bahia), no Centro-oeste (Mato Grosso), Sudeste (Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo) e no Sul (Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina).

Uso medicinal

É um fruto rico em cálcio, sais minerais, vitaminas do complexo B e vitaminas A e C, além de fósforo, potássio, acetogeninas e triptofano. A entrecasca do tronco, assim como a casca do fruto, possui uma espessa mucilagem composta por um complexo de açúcares pesados, o que torna a polpa algo indigesta para muitas pessoas. Entretanto, a mesma mucilagem tem a capacidade de proteger o intestino de agentes irritativos, formando um “filme” que cobre as mucosas internas das vísceras de condução. Isso torna o araticum uma planta muito útil em quadros de colite, em situações diarreicas, em que a flora e a fauna intestinais estão desbalanceadas, e em outras afecções crônicas do

trato gastroentérico (AMERICANO, 2015).

Por suas qualidades nutricionais, o araticum também é um bom imunogênico, um anti- hipertensivo leve, um antifúngico ginecológico poderoso, que atua inclusive na forma intestinal da candidíase, um tônico cardíaco suave e um ansiolítico com qualidades soníferas. Vale ainda comentar que o araticum fornece elementos ativos que só são úteis quando reunidos entre si, como o triptofano, a vitamina C e os hidratos de carbono. Essa associação, para além dos ganhos para o sono e a imunidade, funciona como um ansiolítico natural, ajudando as pessoas a emagrecer pelo alto índice de saciedade que a ingestão do fruto produz, e como auxiliar no controle da deposição de gorduras e da compulsividade (AMERICANO, 2015).

Finalmente, as sementes possuem um óleo amargo irritante para o intestino e o estômago, o que as torna boas coadjuvantes em fórmulas vermífugas, vomitivas, diarreicas e desintoxicantes de forma geral (AMERICANO, 2015).

Formas de uso

Entrecasca, na forma de pó, ou in natura em maceração aquosa; folhas, na forma de pó e chá; fruto seco ou in natura; e sementes, trituradas e torradas ou in natura (AMERICANO, 2015).

Referências:

AMERICANO, Túlio. Fitoterapia Brasileira: uma abordagem energética. Brasília: Cidade Gráfica Editora, 2015. 420 p.


MAAS, P.; LOBÃO, A.; RAINER, H. 2015 Annonaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB110263>.

);