Agroecologia

fundo_terra

Alimentar-se é necessidade básica para a vida humana, contudo, enfrentamos grandes colapsos ambientais pela maneira com que produzimos nossa comida. O intenso consumo de alimentos ultra processados e industrializados, além do impensável consumo de carne que a sociedade atual consome, faz mal não só para a saúde humana, como para a saúde do planeta como um todo.

 

O desmatamento irresponsável e ilegal para a abertura de pasto e a pobreza do solo das monoculturas, matam os lençóis freáticos que alimentam rios e mares, além de fazer com que espécies que deveriam viver afastadas do convívio humano, comecem a se aproximar procurando novos habitats e gerando, consequentemente, pandemias. Por isso, acredito que a forma mais sustentável e inteligente para recuperarmos em parte aquilo que destruímos, seja a adoção de Sistemas Agroflorestais nas propriedades agrícolas.


A agrofloresta restaura ecossistemas nativos, emprega famílias tradicionais, devolve matéria orgânica pro solo e mantém vivo microorganismos e insetos essenciais para o desenvolvimento da floresta e da vida humana. Por isso, é preciso que a discussão sobre estes sistemas e a sua viabilidade econômica saia das universidades e ganhem a consciência da população.

 

A natureza é muito sábia e uma das atitudes mais importantes para quem quer começar a entender a agroecologia é estar aberto a aprender com a natureza. Isto porque até mesmo antes de nós estarmos aqui no planeta, a natureza, com toda a sua sabedoria já possuía os seus ciclos de vida desenvolvidos de forma perfeita! Sendo assim, quando queremos recuperar a natureza que existia antes de nós, temos que parar e observar todos os processos que ela tem para nos ensinar. Observar quais espécies se desenvolvem melhor naquele ambiente; observar os diferentes tamanhos das plantas e como eles servem para proteger os nutrientes do solo; observar quais os ciclos daquele ecossistema, tudo isso é muito importante para quem quer recriar um ambiente sustentável e abundante. Afinal, ninguém melhor do que a natureza para nos ensinar qual o melhor jeito de cuidar dela!

Uma forma muito eficiente para aprender com a natureza é observar! Observar quais são as espécies nativas daquela região para entender quais irão se adaptar às necessidades daquele ambiente; observar a diversidade das espécies para compreender como elas protegem o solo e mantém os nutrientes necessários para o desenvolvimento das plantas; Observar os ciclos daquele sistema para perceber como a natureza acontece de uma forma sustentável. As plantas não irão competir entre si quando estão combinadas corretamente. Por isso, o sucesso de um sistema agroflorestal estará ligado diretamente com as decisões que forem tomadas ao longo de sua construção. Portanto, é necessário observar o ecossistema como um todo para que a preparação da agrofloresta tenha um resultado positivo.

Ao observarmos como os ciclos da natureza acontecem, podemos compreender o seu funcionamento. É preciso saber que todo o ecossistema está sujeito a mudanças contínuas. As plantas irão interagir entre si, de acordo com o seu tempo de vida, ocupando o melhor espaço possível durante esse período, e isso dará ao sistema o desenvolvimento necessário para a saúde do ecossistema como um todo. Por essa razão, é necessário compreendermos o funcionamento da natureza para que os diferentes ciclos das plantas formem camadas que atuem de maneira cooperativa e eficiente.

Quando observamos a natureza e compreendemos os seus ciclos de vida, percebemos uma enorme sabedoria. Quem determina o que deve ser plantado é o próprio ambiente! Ao observar o ecossistema como um todo, e compreender como as diferentes espécies interagem entre si, participamos do ciclo abundante da vida. Assim, quando plantamos espécies diferentes que compartilham ciclos de crescimento diversos, e que contribuem para o melhor desenvolvimento de todas, garantimos para o solo um rico fornecimento de matéria orgânica, otimizando todos os recursos necessários para uma boa produção e minimizando os custos, já que a própria natureza atuará na sua manutenção.

Estamos cercados por ciclicidades e na agroecologia não seria diferente! Os processos cíclicos de cada espécie é algo natural e orgânico. Em um sistema agroecológico, são esperadas mudanças tanto na fisionomia, quanto nas populações que habitam em um determinado espaço durante certo período de tempo. Toda essa transformação aumenta a qualidade e a quantidade de vida do ecossistema. Dessa forma, à medida que são atingidos os ciclos de determinadas espécies, garantimos que aquele sistema esteja pronto para evoluir para um nível estrutural mais complexo.

Quando plantamos espécies diferentes com ciclos de crescimento diversos, afirmamos que aquele sistema terá material orgânico suficiente para que as espécies se desenvolvam bem, pois a matéria orgânica é a fonte de energia para a vida do solo! Assim, as árvores de grande porte fornecerão a sombra necessária para o desenvolvimento das espécies de portes menores, e as espécies de portes menores serão responsáveis por cobrir o solo e garantir que os seus nutrientes sejam preservados. Por isso, é necessário haja biodiversidade em um sistema agroflorestal de maneira com que as espécies existentes no sistema cooperem entre si e mantenham o solo protegido e coberto, preservando sua fertilidade de forma saudável.

Outra maneira eficiente para preservar a energia do sistema agroecológico, é o conhecimento das técnicas de manejo e poda. A poda e o manejo são tão importantes quanto a implementação do sistema! Ao praticarmos a poda, aumentamos a quantidade de matéria orgânica fornecida porque utilizamos o que foi podado para cobrir o solo, colaborando com a oferta de nutrientes. Já o manejo correto, garante que o sistema esteja sempre renovado, poupando a energia que as espécies utilizam, e aumenta a produtividade.

Entendendo agora um pouco mais sobre como um sistema agroflorestal funciona, podemos compreender que esse tipo de agricultura é capaz de promover a autonomia dos agricultores, pois utiliza a colaboração mútua entre as espécies e respeita os ciclos naturais do ecossistema. Assim, ao desenvolver um sistema agroecológico, o solo se enche de vida, fornecendo ao agricultor um solo rico em nutrientes e uma produção abundante. Dessa forma, a combinação das espécies de interesse econômico com as espécies de regeneração natural, promove a completa recuperação das áreas degradadas, restabelece a fauna nativa, o seu ciclo hidrológico e, ainda, garante uma alta qualidade da produção agrícola.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
PENEIREIRO, F. M. Fundamentos da agrofloresta sucessional. II Simpósio de Sistemas Agroflorestais, Sergipe. 2003