A fitossociologia do cerrado sentido restrito no Parque Recreativo do Gama (Prainha) – DF

Autor(a):

Henrique Sarmento Caldeira Brant

Resumo:

O cerrado é a vegetação típica no Brasil Central, e é caracterizada por mosaicos de diferentes fitofisionomias que possuem grande diversidade florística. O ritmo acelerado de destruição neste bioma preocupa, pois existe carência de informações fisiológicas, ecológicas, florísticas e fitossociológicas, acerca do bioma. Neste intuito, o estudo foi conduzido no Distrito Federal, no Parque Recreativo do Gama. O local é área de proteção integral com vegetação nativa. O objetivo do trabalho foi estudar a composição florística e a fitossociologia no cerrado sentido restrito para colaborar com a conservação do cerrado no Distrito Federal. Foram alocadas 10 parcelas de 20×50m (10.000 m² ou 1 ha) nos locais mais conservados e de maior vegetação arbórea, onde foram amostrados todos os troncos com diâmetro maior ou igual a 5 cm, obtidos a 30 cm do solo. Calcularam-se os parâmetros fitossociológicos e foi feito a classificação usando TWINSPAN no parque e entre 11 áreas no DF. Foram amostradas 76 espécies distribuídas em 56 gêneros e 33 famílias. A família Fabaceae apresentou o maior número de espécies (16), seguida da Vochysiaseae (6). As espécies com maior Índice do Valor de Importância foram Qualea parviflora, Tachigali subvelutina, Ouratea hexasperma, Qualea grandiflora e Pouteria ramiflora. A densidade absoluta foi de 1689 ind/ha e a área basal de 18,05 m²/ha. As árvores mortas somaram 118 (7% do total). A diversidade de Shannon & Wienner (H’) foi de 3,73 e a uniformidade de Pielou (J’) foi de 0,86. A distribuição diamétrica na comunidade apresentou formato J-invertido, indicando característica auto-regenerativa. A classificação TWINSPAN indicou que as espécies Agonandra brasiliensis, Brosimum gaudichaudii, Platymenia reticulata, Salvertia convallariaeodora e Aspidosperma macrocarpon são preferenciais do Gama. A escolha da área da unidade de conservação foi acertada visto que o local guarda elevada diversidade e mostra-se importante para a conservação do cerrado no Distrito Federal.

Referência:

BRANT, Henrique Sarmento Caldeira. A fitossociologia do cerrado sentido restrito no Parque Recreativo do Gama (Prainha) – DF. 2011. 55 f., il. Monografia (Bacharelado em Engenharia Florestal)—Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

Disponível em:

);