João Vicente da Costa

Raizeiro, Benzedor e Parteiro, são algumas das atribuições de Seu João Vicente da Costa, mas como se não bastasse ser um grande conhecedor do Cerrado e um canal de graça divina para curas e “acordamentos”, ele é um grande “cientista autodidata”, viveirista, ambientalista e agricultor. Desde menino, muito curioso, desenvolveu técnicas interessantíssimas para reprodução de espécies do Cerrado aliando conhecimentos tradicionais de sua vivência com alguns recursos que observou em visitas quando foi convidado para conhecer laboratórios universitários há anos atrás. A escola ele frequentou quase nada, e mesmo quando teve oportunidade, já era adulto, pai de família, mas carrega consigo enorme sabedoria e humildade. Católico vicentino praticante, ama ajudar ao próximo, trocar saberes e fazeres, além de ser um ótimo contador de causos e piadas.

 

Fonte: Souza, Daniela Ribeiro et al. Raizeiros de Alto Paraíso: saberes ameaçados. Alto Paraíso de Goiás: Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás, SEDUCE, 2017.

 

PUBLICADO EM 19 DE JULHO DE 2020
Oficina RAÍZES: Seu João – Raizeiro, ensina a reproduzir espécies medicinais (Sanclerlândia-GO)
https://youtu.be/yzu0BXqfimw

 


Seu João Vicente da Costa participou da pesquisa que resultou no livro:

Farmacopéia Popular do Cerrado Coordenação: Jaqueline Evangelista Dias e Lourdes Cardozo Laureano. Goiás: Articulação Pacari (Associação Pacari), 2009.

 

Farmacopéia Popular do Cerrado

“a elaboração da Farmacopéia do Cerrado foi um processo de mobilização social que envolveu diversos atores sociais com o objetivo de construir um instrumento para o fortalecimento do projeto político da medicina popular e, contribuir para a construção de uma política nacional de saúde que integre diretrizes ambientais e culturais” (DIAS e LAUREANO 2009, p.53).
A obra é um sistema de registro dos conhecimentos tradicionais elaborado pelas próprias comunidades de iniciativa da Articulação Pacari, uma Rede Socioambiental formada por grupos comunitários que praticam a Medicina Tradicional no Bioma Cerrado. É o resultado de pesquisa popular de plantas medicinais de autoria de 262 autores sociais, entre raizeiros, raizeiras e representantes de farmácias caseiras e ou comunitárias nos estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Maranhão, no período de 2001 a 2005. O livro contém nove monografias populares de plantas medicinais, que abrangem elementos de identificação das espécies, descrição de seus ambientes de ocorrência e relações ecológicas, caracterização da parte usada da planta, técnicas de manejo sustentável para a sua coleta, indicação popular de seu uso medicinal, formas de uso e toxicidade.

Disponível em: http://ava.icmbio.gov.br/mod/data/view.php?d=17&rid=2765

 

Cerrado, fonte de água e biodiversidade
07/09/2020
Pontos de vista nesta edição: Yuri Salmona, geógrafo especializado em ciências florestais e fundador do Instituto Cerrados; João Vicente da Costa, raizeiro de Sanclerlândia-GO; Marcello Linhos, roqueiro e violeiro, autor da música “Cerradim”; Washington Novaes, pioneiro do jornalismo ambiental no Brasil, falecido em 24/08.

Baixar o programa no seguinte link:
https://www.camara.leg.br/radio/programas/689592-cerrado-fonte-de-agua-e-biodiversidade/