UM CAMPO GRANDE E... FLORIDO

A beleza das flores do Cerrado da Cidade Morena

Buriti (Mauritia flexuosa), palmeira das veredas, áreas armazenadoras e provedoras de água dos Cerrados. Também é abundante na Amazônia. A da foto é masculina. A feminina dá frutos com polpa avermelhada, pelo alto teor de pró-vitamina A. Alimento de araras e outros animais.
Prestonia erecta, Apocinácea (família com látex), subarbusto com órgão subterrâneo com gemas de sobrevivência ao fogo, fruto em forma de dois chifres e sementes com plumas para disseminação pelo vento.
Salvertia convallariodora (Voquisiácea), árvore de casca grossa, folhas grandes, flor muito perfumada. Sementes espalhadas pelo vento. Ocorre somente no Cerrado (endêmica). Visitada por abelhas, beija-flores e, à noite, por mariposas.
Murici (Byrsonima intermedia, Malpiguiácea), arbusto. Note as glândulas na base das flores, que fornecem óleo para várias abelhas nativas como recompensa pelo serviço de polinização. O fruto é carnoso, comestível e serve para sucos e licores, também sendo alimento de aves.
Murici, sumanera (Byrsonima coccolobifolia, Malpiguiácea), pequena árvore, com flores com glândulas de óleo coletado por abelhas especializadas, que fazem a polinização. Tem fruto carnoso, comestível e serve para fazer suco e licor, e é alimento de aves e outros animais.
Murici (Byrsonima intermedia, Malpiguiácea), arbusto. Note as glândulas na base das flores, que fornecem óleo para alimento de abelhas nativas como recompensa pelo serviço de polinização. O fruto é carnoso, comestível e serve para sucos e licores, também sendo alimento de aves.
Murici, sumanera (Byrsonima coccolobifolia, Malpiguiácea), pequena árvore, com flores com glândulas de óleo coletado por abelhas especializadas, que fazem a polinização. Tem fruto carnoso, comestível e serve para fazer suco e licor, e é alimento de aves e outros animais
Laranjinha (Styrax ferrugineus, Estiracácea), arvoreta. O nome laranjinha é pela flor e odor parecidos com a de laranjeira. Flor em grande parte do ano, visitada por abelhas e beija-flores. Fruto comido por aves.
Cortiça (Aeschynomene sensitiva), leguminosa da vereda, cresce na água ou solo encharcado. Polinizada por abelhas que enxergam as guias de néctar nessas estrias pouco visíveis para nós (seu peso expõe os estames escondidos entre pétalas). O fruto flutua para disseminação.
Jequitibá (Cariniana estrellensis), da família da castanheira-do-pará (Lecitidáceas). Uma das maiores árvores do Cerrado e da Mata Atlântica. O fruto (8 cm de comprimento) tem uma tampa e as sementes são nutritivas, procuradas por macacos e outros animais.
Pavonia, Malvácea. Pólen é um alimento muito nutritivo, parte dele fica aderido no inseto e pode ser levado para outra flor, mas nem sempre o visitante floral é polinizador. Observa esta esperança (um ortóptero) levando pólen à boca.
Cumbaru, baru (Dipteryx alata), leguminosa, árvore, dá um fruto com castanha muito nutritiva e saborosa, que é torrada e tem venda certa. As minúsculas flores são visitadas por abelhas. Morcegos e outros animais comem a polpa e assim dispersam a semente.
Guavira, gabiroba (Campomanesia guaviroba, Mirtácea), arbusto de 1 a 3 m de altura, com folhas escuras e brilhantes e extremidade dos estames vermelha. A guavira dá frutos saborosos muito apreciados, pelo que foi decretada símbolo de Mato Grosso do Sul.
Douradinha-amarela, douradinha-do-campo (Palicourea coriacea, Rubiácea), subarbusto com órgão subterrâneo de sobrevivência ao fogo, com uso na medicina popular.
Cyrtopodium paludiculum, orquídea da vereda, pois paludiculum significa de lugar muito úmido. As orquídeas têm pólen aglomerado em polínias, são massas pegajosas que a mamangava recebe nas costas e leva para outra flor.
Paratudo (Gomphrena arborescens, Amarantácea), pequeno subarbusto. Observe o aspecto "piloso" das folhas. Cada estrutura avermelhada é uma flor! Não é parente do paratudo-do-campo do Pantanal, mas o nome é o mesmo pelo uso medicinal.
Ovo-frito (Eschweilera nana, Lecitidácea), da mesma família do jequitibá, por ter fruto com tampa. A semente é uma castanha procurada pela fauna. A "bola" no centro da flor é tipo um alçapão que a mamangava tem que levantar para ter acesso ao néctar na polinização.
Helanthium tenellum (Alismatácea, a família do chapéu-de-couro), pequena erva de áreas alagadas. Flor visitada por abelhas e pequenas moscas (foto).
Lodinho-branco (Egeria najas, Hidrocaritácea), planta masculina. É uma planta aquática submersa, apenas a flor sai da água. Polinizada por insetos, mas propaga-se principalmente por divisão de plantas.
Pequi, piqui (Caryocar brasiliense, Cariocarácea), árvore que só existe no Cerrado. A flor abre à noite, polinizada por morcegos. Polpa riquíssima em pró-vitamina A, serve para vários pratos e licor. Se cozida com semente, quando mordida os pequenos espinhos podem espetar a boca.
Lessingianthus grandiflorus, Asterácea, subarbusto de cerca de 80 cm de altura, de veredas e campos úmidos. Flores visitadas por abelhas (o que parece uma flor é um capítulo com 40 a 60 flores). Sementes espalhadas pelo vento.
Jenipapo (Genipa americana, Rubiácea). A planta masculina (foto) tem flores reunidas (a feminina dá apenas flor isolada, pois o fruto é grande e pesado). O fruto serve para doces e licores. O fruto de vez tinge a pele de preto e pode ser usado como raro corante azul na culinária.
Sagittaria planitiana (Alismatácea, a família do chapéu-de-couro), planta aquática parcialmente submersa. Flores de sexo separado (a da foto é masculina), visitadas por abelhas.
Cyperus lanceolatus, da família da tiririca (Ciperáceas). Erva de veredas e áreas úmidas. Com rizoma. Forrageira de capivara e outros animais.
Floscopa glabrata (Comelinácea), erva de veredas e áreas alagáveis. Observe a profusão de tricomas ("pelos") nas sépalas com glândulas, que atraem os insetos polinizadores.
Sauvagesia erecta (Ocnácea), erva ereta (como diz o nome da espécie), de 20-40cm de altura, de veredas e lugares úmidos. Flor com anteras com poros na ponta, polinizada por vibração das abelhas. A flor parece de cera.
Detalhe de Utricularia myriocista (Lentibulariácea) fotografada em vereda. O nome do gênero vem de utrículos, que são pequenas bolsinhas (de 1 mm) que funcionam como armadilhas para capturar pequenos bichinhos aquáticos, que são para nutrição da planta, pois é carnívora.
Abacaxizinho-do-cerrado (Ananas ananassoides, bromeliácea de pequeno porte). O abacaxi é comestível, muito cheiroso. Na foto vê-se o beija-flor-dourado (Hylocharis chrysura) pairando no ar, com a língua sorvendo néctar da flor.
Sipania hispida (Rubiácea), erva ereta de 30-60cm de altura, de veredas e áreas úmidas. Flores durante a maior parte do ano, polinizadas por pequenas borboletas.
Fedegosão (Senna velutina, leguminosa), arbusto de 1-2 m de altura. Flores polinizadas por abelhas que obtêm pólen por vibração das asas, pois as anteras têm poros no ápice. Serve para revegetar solo degradado.
Anterior
Próximo