Projeto Parque Educador

 

Esse projeto é uma realização do Instituto Brasília Ambiental, por meio da Unidade de Educação Ambiental, em parceria com as secretarias de Educação (SEEDF) e de Meio Ambiente (Sema) do Distrito Federal, com alunos de escolas públicas do DF.

 

O projeto já atendeu mais de 10 mil alunos em todo o DF. Somente no primeiro semestre deste ano, 43 escolas e 1.415 alunos foram beneficiados. Foi pensado e idealizado para fortalecer a educação ambiental, ampliar o espaço educativo das escolas públicas e aumentar a integração dos parques com a comunidade. Os conteúdos estudados em sala de aula são ampliados por meio de trilhas guiadas, oficinas, práticas integrativas de saúde, palestras e vivências com a natureza.

 

As atividades são desenvolvidas por professores disponibilizados pela Secretaria de Educação e capacitados pelo Brasília Ambiental. Devido à pandemia e o retorno das aulas presenciais das escolas públicas do DF, o projeto se dará de forma mista. Começará com o uso das plataformas digitais e terminará com as atividades presenciais nas unidades de conservação em que acontecem as aulas em campo.

 

Os critérios de priorização para a seleção das escolas são: menor distância da escola à unidade de conservação selecionada, não podendo exceder a 20 km; maior número de alunos da turma selecionada, não ultrapassando o limite de 40 alunos; escolas relacionadas pela SEEDF como prioritárias; escolas que já desenvolvam projeto na área ambiental e/ou patrimonial; e prévia participação do professor no curso Guia Trilhas e Caminhos para a Sustentabilidade nas Escolas do DF.

 

Nesse segundo semestre, cada escola poderá inscrever, no máximo, duas turmas de até 40 alunos para participar do projeto. As turmas participarão em dias e/ou turnos diferentes, e os formulários para cada turma deverão ser preenchidos individualmente.

 

O projeto está presente na Estação de Águas Emendadas (Esecae)/Parque Ecológico Sucupira (Planaltina), e nos Parques Ecológicos: Águas Claras, Três Meninas (Samambaia), Saburo Onoyama (Taguatinga), Riacho Fundo e Monumento Natural Dom Bosco (Lago Sul). Serão oferecidas quatro vagas para cada unidade, com encontros previsto para o período de setembro a novembro.

 

 
);