RPPN Linda Serra dos Topázios preserva biodiversidade no Planalto Central

linda serra dos topazios

Sob a coordenação de Jaime, a Reserva Particular de Patrimônio Natural Linda Serra dos Topázios foi criada em 1994 para preservar área de Cerrado e difundir conhecimentos ambientais, históricos e de várias outras áreas.  Dentre elas, a parceria com a Universidade de Brasília nos cursos de Ecoastronomia, coordenados pelo astrofísico José Leonardo Ferreira, professor da UnB.

Localizada no município de Cristalina, bem perto da capital federal, a cerca de 110 km de Brasília, a Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN) Linda Serra dos Topázios – umas das primeiras do Planalto Central – é exemplo em conservação de biodiversidade e serve de modelo de preservação do bioma Cerrado.

Os cerca 500 hectares da RPPN situam-se entre o encachoeirado rio Topázios e o também encachoeirado Córrego Pedra Impé, que se juntam no vértice mais baixo da Reserva formando um cânion. Ao longo dos cursos de água, as corredeiras se entremeiam sobre lajes com poços.

Ecoastronomia no Cerrado

O céu mais limpo do Brasil, segundo a Ciência, é perfeito para a observação da Via Láctea, para o estudo da astronomia. Em Goiás, no município de Cristalina, no santuário ecológico da Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN) Linda Serra dos Topázios, cientistas inovam com cursos e práticas de Ecoastronomia.

Em 2016, no começo do mês de julho, o Museu de Ciência e Tecnologia, sediado na Universidade de Brasília (UnB), em parceria com a RPPN, a Prefeitura de Cristalina, a 3ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército e vários outros parceiros, realizou mais esse evento educativo na Linda Serra dos Topázios.

Nos dias 2 e 3 de julho, estudantes e professores da UnB, alunos de escolas de Cristalina e o público em geral puderam participar de aulas teóricas e práticas, desde a observação da Via Láctea em potentes lunetas e de um planetário móvel à admiração noturna do céu da Reserva, somando conhecimentos básicos de Astrofísica, Cosmologia e de Ciências Ambientais.

Os cursos de Ecoastronomia ministrados da Reserva vem de longa data e são parte da inspiração e da herança da ambientalista Adnair França dos Santos, a Dina, falecida em 2007, aos 52 anos, vítima de um aneurisma cerebral. Dina e seu companheiro Jaime Sautchuk, foram pioneiros na implantação do projeto Ecoastronomia no Cerrado, em parceria com a UnB.