Instituto Jurumi

O Jurumi começou as atividades em Novembro de 2010, através de projetos de pesquisa para conservação do bioma Cerrado. Por ser uma organização voltada para conservação da natureza o público alvo da organização é a sociedade, a maior beneficiada indiretamente. Isso pode ser explicado pelo valor da natureza e dos serviços ambientais que realiza para população. Diretamente a maior beneficiada a biodiversidade. O Instituto tem como missão: ‘Cooperar para o conhecimento da biodiversidade brasileira, no desenvolvimento de projetos, de tecnologias e da educação para a conservação da natureza’. Possui como metas auxiliar na pesquisa de dados para conservação do Cerrado do Planalto Central e do bioma em geral e participar de ações que ressaltem a importância da biodiversidade brasileira e respectiva conservação.

Somos uma organização sem fins lucrativos. O nosso Instituto está sediado em Brasília e foi fundado por jovens biólogos que pretendem contribuir para as ações de conservação da natureza. Temos o tamanduá-bandeira como mascote porque percebemos a necessidade de atividades de sensibilização para conservação dessa espécie brasileira. Em vários momentos, e por vários motivos, o tamanduá passou a figurar grande importância para nós. Por isso o nosso símbolo: um tamanduá em alerta, caracterizado pelo focinho em linha reta com o dorso, envolto por todos os lados em alusão às relações ecológicas. Jurumi é termo tupi, que significa ‘boca pequena’, usado para se referir aos tamanduás (que come formigas). Usamos esse palavra indígena para valorizar a origem nativa do Brasil.

 

Projetos desenvolvidos no Cerrado:

Público atendido:

Crianças através de trabalhos de educação ambiental, pessoas em contato direto com UC e a sociedade.

Objetivos:

I – realizar a defesa, preservação e conservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento sustentável;

II – realizar estudos e pesquisas, desenvolvimento de tecnologias alternativas, produção e divulgação de informações e conhecimentos técnicos e científicos voltados para conservação da natureza;

III – estudar espécies ameaçadas de extinção para auxiliar na conservação delas e dos hábitats onde vivem, com educação ambiental e envolvimento humano;

IV – desenvolver treinamento de profissionais com ênfase em biologia da conservação e eventos que promovam as ciências biológicas e a cultura;

V – instituir e apoiar políticas públicas voltadas para a conservação da biodiversidade.

AÇÕES ATUAIS:

Sugestão/Contribuição para o Eco-Museu do Cerrado:

Trabalhos com a biodiversidade do Cerrado, principalmente com a fauna e flora. O Instituto pode contribuir com fotos e com atividades temáticas. 

Ação individual (artística, social, científica):

Biologia do tamanduá-bandeira no Cerrado do Planalto Central