Memorial do Cerrado

Eleito em 2008 como o local mais bonito de Goiânia, O Memorial do Cerrado, complexo científico que funciona no Campus II da PUC Goiás, é um dos projetos do Instituto do Trópico Subúmido que representa as diversas formas de ocupação do bioma e os modelos de relacionamento com a natureza e a sociedade. É um museu que retrata desde a origem do planeta Terra à chegada dos portugueses ao Brasil.

O Memorial reúne espaços que representam as diversas formas de ocupação do Cerrado e os modelos de relacionamento com a natureza e a sociedade. São eles:

 

Museu de História Natural

Espaço de exposições em que painéis e cenários narram a história evolutiva da Terra e do ambiente do cerrado. O visitante pode ver fósseis com datação de até 600 milhões de anos.

 

Vila Cenográfica de Santa Luzia

Reconstrução em tamanho original dos primeiros povoados de origem colonial portuguesa na região central do Brasil. A vila conta com espaço urbano e rural, com réplicas de fazendas e oficinas rurais, responsáveis pela geração de riqueza daquele tempo. Andar pelo local é uma forma de se inserir na história, já que o visitante fica em contato direto com as antigas moendas, alambiques de barro, oficina de rapadura e açúcar, oficina do ferreiro, seleiro, funilaria do carapina, serraria, além da venda – ponto de comércio da época – a igreja, a prefeitura, a cadeia, o bordel, dentre outras atrações interessantes.

 

Aldeia indígena

Réplica em tamanho original de uma aldeia indígena modelo Timbira, que tem o formato circular, na qual cada casa tem um caminho de acesso ao pátio – centro de atividades da tribo.

 

Quilombo

Sítio geográfico e local de resistência ocupado e organizado por populações africanas ou afro-brasileiras que fugiam da escravidão. No Memorial do Cerrado há uma réplica fidedigna dos modelos de quilombos existentes no cerrado.

 

Espaço de Educação Ambiental Dalila Coelho Barbosa

Auditório ao ar livre, com 150 lugares, e local destinado a oficinas educativas, piqueniques e recreação.

 

Trilhas Ecológicas

Com 2 km de extensão, ela foi aberta no interior da reserva intacta de floresta tropical e de cerrado que existe na Estação Ciência São José. Trata-se de um local ideal para o contato com a natureza e o desenvolvimento do espírito esportivo e de aventura. Como espaço protegido, a “Trilha da Semente Peregrina” propicia ao visitante a oportunidade de realizar a interação de conhecimentos relativos ao meio ambiente, notadamente o conhecimento científico do mundo vegetal e animal.

 

Pesquisa

Muito além de espaço expositivo, o Memorial do Cerrado é um centro de pesquisa para diversos profissionais atuantes em áreas distintas da PUC Goiás. Também faz um intercâmbio com outros pesquisadores Brasil afora. Há laboratórios de arqueologia, geociência, taxidermia e tecnologia de alimentos, por exemplo. “O local dinamiza suas instalações como um importante centro de pesquisa em Goiânia”, explica Paulo Sérgio.

 

Velho homem

Na parte expositiva do Memorial do Cerrado, o público entra em contato com o esqueleto do Homem da Serra do Cafezal, o mais antigo da América do Sul. Há ainda fósseis datados de até 600 milhões de anos.

 

Trilha da Semente Peregrina

Localizada em um espaço protegido, possui cerca de 2 km de extensão e se concentra entre a reserva intacta da floresta tropical e de cerrado que há na Estação Ciência São José. Para os amantes da natureza este o passeio perfeito, já que garante muito contato com o mundo vegetal e ainda é possível visualizar alguns animais. É aquela pitada de aventura que todo mundo precisa de vez em quando!

 

Espaço de educação

O espaço de educação ambiental Dalila Coelho Barbosa é, na verdade, um auditório aberto, onde é possível realizar oficinas educativas, piqueniques e outras atividades. Trata-se de um local de convivência e aprendizado.

 

Dentro de uma oca

Adentrar ao universo indígena e ver como eles se socializavam é uma das propostas da réplica da aldeia. Lá é possível ter contato com o tamanho real de uma oca modelo timbira, típica da Região Centro-Oeste.

 

Acervo José Hidasi

Até então localizado no bairro de Campinas, o Museu de Ornitologia de Goiânia encerrou suas atividades em 2018. Grande parte do acervo mantido durante muitos anos na casa de seu fundador, o húngaro José Hidasi, foi doado para o Memorial do Cerrado. Em uma seção especial dedicada ao taxidermista, o museu apresenta a história de Hidasi, hoje com 92 anos de idade, que reuniu uma coleção de mais de 120 mil peças, desde espécimes do Cerrado até mamíferos, aves e insetos.

 

Contato:

Endereço: PUC-Goiás, Campus II na Av. Engles, s/n Jardim Marilisa

Telefone: (62) 3946 1723

Site: http://www.pucgoias.edu.br/ucg/institutos/its/site/home/secao.asp?id_secao=123

Valor: R$ 12,00 a inteira; R$ 6,00 para crianças de até 10 anos e professores, mediante comprovação. Não aceita cartão nem de crédito nem de débito. (valor em dezembro de 2018)

Horário de Funcionamento: De terça a domingo das 7:00 às 17:00

Duração Aproximada: 2 horas

Dica: no local não existe lanchonete nem restaurante. Então não se esqueça de levar água ou alguma coisa para as crianças comerem durante o passeio. 

);