Foto: Débora Amorim

Compositor, cantor, violonista, Fernando Guimarães nasceu em 1961 na cidade de Caldas/MG. Atualmente mora na zona rural, em uma fazenda na região de Santa Rita de Caldas e também em Poços de Caldas/MG.

 

Apesar de ter crescido ouvindo viola, Fernando se interessou primeiro pelo violão aos 17 anos, instrumento no qual se aperfeiçoou. Posteriormente começou a estudar viola, atraído pela sonoridade que o reporta à sua ligação com a terra:

 

Cresci ouvindo a viola e ela sempre me foi familiar, mas tocar mesmo, foi desde da década de 90, quando senti necessidade no sentido de inspiração, do quanto ela me aproxima da minha historia, da ligação com a terra e também pelo timbre e pelas afinações (Guimarães 2017).

 

CORRÊA, Jussânia Borges. Ecomusicologia no Cerrado: violeiras e violeiros convivendo com a natureza. 2017. 268 f., il. Dissertação (Mestrado em Música)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.  Disponível em: <https://repositorio.unb.br/handle/10482/31444>

As composições do CD [Cantilenas do Jardim (2007)] expressam o ambiente natural, pois para Fernando, a natureza é a mãe da sabedoria. Em suas palavras:

 

“a natureza é uma coisa assim que faz a gente pensar, faz a gente examinar como Deus é grandioso, fazendo essa coisa maravilhosa que é a música e fazer a gente levar esse bem, essa tarefa, essa missão” (Guimarães, 2017).

 

Albuquerque (2016) destaca nesse trabalho a consciência ecológica e simplicidade amorosa de Fernando:

 

Este segundo trabalho retoma o tema da ecologia, marca fiel nas composições de Fernando Guimarães, e o seu jeito mineiro com toda a simplicidade que lhe é peculiar, sem deixar de lado as inovações musicais presente nos arranjos, na voz e nos violões sempre muito bem acalentados pelas suas mãos de plantador e pelo coração de um ser humano capaz de emocionar cantando (Albuquerque 2016: 191).

 

A relação de Fernando Guimarães com o meio ambiente é de admiração, respeito e inspiração, afirma ele, e que por isso compõe principalmente temas relacionados a esse universo, “a água, a natureza, os povos, o meu lugar, enfim, acho que devemos colocar nosso canto em nome da vida, mostrar o lado das possibilidades, portanto, esses temas estão presentes em praticamente todas as minhas canções” (Guimarães 2017).

 

CORRÊA, Jussânia Borges. Ecomusicologia no Cerrado: violeiras e violeiros convivendo com a natureza. 2017. 268 f., il. Dissertação (Mestrado em Música)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.  Disponível em: <https://repositorio.unb.br/handle/10482/31444>