Foto: Divulgação Site Dani Lasalvia

Daniela Lasalvia, nasceu em 1974 na cidade de São Paulo/SP, onde reside. É artista plástica, programadora visual, produtora, arte-educadora, cantora, compositora e pesquisadora de cultura popular. Multi-instrumentista, Dani Lasalvia tem domínio em: voz, violão, violas de dez e doze cordas, piano e percussão.

 

Dani Lasalvia (2017) toca Viola Caipira há 18 anos, e conta que conheceu esse instrumento há 20 anos, em um show de Dércio Marques em 1996, e logo depois com Almir Sater, na sala Funarte em São Paulo. Tendo como principal referência o trabalho de Almir Sater, Dani começou a tocar viola de forma autodidata, com escalas ponteadas simples, e alguns fraseados de Tião Carreiro e outros violeiros como Braz da viola e Renato Andrade. Atualmente vem tocando alguns clássicos como Viola Quebrada de Mário de Andrade e Luzeiro, de Almir Sater, além de outras composições de domínio público que utilizam a linguagem ponteada e rasqueada da viola (Lasalvia 2017).

 

CORRÊA, Jussânia Borges. Ecomusicologia no Cerrado: violeiras e violeiros convivendo com a natureza. 2017. 268 f., il. Dissertação (Mestrado em Música)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.  Disponível em: <https://repositorio.unb.br/handle/10482/31444>

Temas ambientais como água, flores, mata e o tema indígena estão presentes em seu CD duplo “Madregaia” (2007) em canções como Vida de Água (Amauri Falabella), Tietê Meu Rio (Loni Rosa e Jean Garfunkel), Meninos (Juraíldes da Luz), Quiquiô (Geraldo Espíndola), Água de Mani (Índios Tremembé), Ciranda Lunar (Amauri Falabella). Dani Lasalvia explica que este trabalho foi pensado para homenagear as águas, e se chamaria “Caminho das águas.” Com a ampliação da abordagem, o nome mudou para “Madregaia,” cujo tema se refere à “Mãe Terra” (Lasalvia 2017).

 

Dani Lasalvia esclarece que há mais de 20 anos realiza um trabalho de conscientização ambiental por meio da música, na qual utiliza violão, viola e principalmente a voz, para passar essa mensagem em shows por meio do SESC (Serviço Social do Comércio) à escolas, teatros e espaços culturais, tratando dos temas abordados em seu CD, com foco principal na água (Lasalvia 2017). O Cerrado e todas as paisagens brasileiras mais conhecidas são abordados nos espetáculos de Dani. Mas, a cantora diz que muitas vezes focaliza bastante o Cerrado por saber ser ele, o mantenedor das águas emendadas que alimentam outras paisagens. Dani afirma que, o Cerrado esteve presente em todas as oficinas ambientais sobre água e preservação que ministrou, “sozinha e com Dércio Marques, a grande estrela sempre foi o Cerrado, por sabermos de sua importância para as outras paisagens” (Lasalvia 2017).

 

CORRÊA, Jussânia Borges. Ecomusicologia no Cerrado: violeiras e violeiros convivendo com a natureza. 2017. 268 f., il. Dissertação (Mestrado em Música)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017. Disponível em: <https://repositorio.unb.br/handle/10482/31444>  

Tel: (11) 97780-7233

Site: danilasalvia.com.br