"Não é só uma terra... nada paga a vida que temos aqui"

Link para o documentário:

Roteiro, Imagens e Edição: Thomas Bauer

Participação: José Francisco Lisboa, Ginaldo da Silva Carvalho, Dalvina da Silva Carvalho, Cosme Alvez de Carvalho, Andréia Muniz Lisboa, Zé da CUT

Agradecimentos: Beniésio Eduardo, Gilmar Santos, Caio Mota, Guilherme Cavalli, José Roberto Andrade

Narração: Jaine Miranda

Animação: Carmelo Fioraso

Correção de Cor: Tao Burity

Edição de Som e Mixagem: Alexandre Jardim

Músicas: Kay Engel – Downpour Pon | Dee Yan Key – Kants Vision | Pictures of the Floating World – Perennial | Yan Terrien – Mellow Memories

Apoio: MISEREOR – LHR Hilfswerk

Realização:  CPT – Comissão Pastoral da Terra Regional Bahia | ASPAT – Associação de Pequenos Agricultores de Taquaril dos Fialhos

A comunidade de Taquaril dos Fialhos está situada no município de Licínio de Almeida, na região sudoeste da Bahia, às margens da Serra Geral. Centenária e localizada num vale fértil, Taquaril conta atualmente com 32 famílias, com excelente qualidade de vida, tanto em termos econômicos como socioculturais. Neste território se cultiva frutas, hortaliças, milho, feijão, cana de açúcar, além da criação de animais. Taquaril dos Fialhos está inserida numa região de transição entre os biomas Cerrado e Caatinga, com água em abundância e rica biodiversidade. A Serra Geral, em especial esta região em torno de Taquaril dos Fialhos, denominada Serra do Salto, abriga várias nascentes e uma bela cachoeira chamada de “Sete Quedas”. Estas águas que caem no Rio do Salto e abastecem a barragem do Truvisco, única fonte de água doce na região, representam a principal fonte de abastecimento para inúmeras comunidades rurais, bem como para os municípios Licínio de Almeida, Caculé, Rio do Antônio e Guajeru. 
A campanha surgiu devido o cenário a ameaça de ser implementada uma empresa de exploração mineral pelo projeto , na comunidade Taquaril dos Fialhos e que se estende por 12 mil km². Este projeto, uma vez implantado, acabará com todo o território tradicional, bem como afetará o abastecimento de água de mais de 16 mil famílias dos municípios próximos, como alerta o presidente da associação da comunidade, Eliano Carvalho “essa é uma luta de todos, pois os impactos que a mineração pode causar muitos danos negativos em vários aspectos, não para nossa comunidade, mas municípios também”. Estas águas que caem no Rio do Salto e abastecem a barragem do Truvisco, única fonte de água doce na região, representam a principal fonte de abastecimento para inúmeras comunidades rurais, bem como para os municípios.