Centro de Pesquisa em Arqueologia e História Timbira (CPAH)

Inaugurado em 10 de agosto de 2015, o Centro de Pesquisa em Arqueologia e História Timbira (CPAHT) surgiu como parte do projeto de extensão do Núcleo de Estudos Indígenas (NEAI), no ano de 2007. O CPAHT é um museu público, vinculado à UEMASUL (Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão) , construído mediante o projeto de compensação ambiental da empresa Suzano Papel e Celulose. O espaço museológico está dividido em três segmentos: arqueologia, etnologia e cultura popular do sertão maranhense. 

O Centro de Pesquisa em Arqueologia e História Timbira homenageia populações que dominaram a extensa área do Cerrado Maranhense que física, linguística e culturalmente são caracterizados como da família Jê, e agrupam os povos Apanyekrá, Apinayé, Canela, Gavião, Parkatejê, Krahô, Krikati e Gavião Pykopjê. A exposição é composta de acervo arqueológico proveniente de pesquisas realizadas na região de Imperatriz, dispondo também de acervo etnológico, com materiais de uso cotidiano e ritualístico representativos dos povos Timbira, que nos remetem à nossa herança cultural, memória e identidade.

O CPAHT recebe visitas de estudantes da UEMASUL, de alunos das redes municipal e estadual, de universidades, Institutos Federais, e de turistas. O atendimento é realizado pelos estudantes bolsistas, estagiários e voluntários da universidade, sob orientação da Arqueóloga Danielly Morais Rocha Marques.

O CPAHT funciona das 8h às 12h e das 14h às 18h. As visitas guiadas em grupos podem ser agendadas pelo E-mail: cpah.timbira@uemasul.edu.br ou pela conta do museu no Instagram: @museu_cpaht.