Alouatta ululata, (Elliot, 1912)

Nome(s) popular(es):

Bugio-de-mãos-ruivas-do-Maranhão

Características físicas:

Os bugios-de-mãos-ruivas-do-maranhão apresentam um elevado dimorfismo sexual com dicromatismo, isto é, as fêmeas e os machos apresentam coloração distinta. Enquanto eles possuem pelagem negra brilhante com mãos, extremidade da cauda, flancos e pés ruivos, as fêmeas possuem uma coloração parda-amarelada e pelos acinzentados esparsos.

Ecologia:

O A. ululata é a espécie menos conhecida do gênero ao qual pertence. Isso significa que faltam dados concretos sobre a ecologia dessa espécie, e, assim, pouco se sabe sobre seu comportamento, número de populações e outros. No entanto, acredita-se que muitas dessas informações sejam semelhantes a outras espécies de Alouatta. Dessa forma, vivem em grupos, e são herbívoros folívoros-frugívoros, ou seja, se alimentam de folhas e frutos.

Distribuição geográfica:

É uma espécie endêmica do Brasil, ocorrendo, principalmente, nos estados do Maranhão, Piauí e Ceará. Assim, se faz presente no bioma Caatinga, Cerrado e áreas de mata de cocais e manguezais. Há poucos dados sobre sua área de ocupação histórica, sendo a extensão de ocorrência da espécie estimada em 135532 km² e sua área de ocupação desconhecida.

Status de conservação e Ameaças:

Em perigo (EN): segundo a IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), a espécie A. ululata está correndo risco de extinção. As populações dessa espécie estão em declínio devido à destruição de habitats, e as causas apontadas para tal realidade são: mineração, desmatamento, mudanças climáticas e caça. Outra dificuldade é o fato dessa ser a espécie do gênero menos conhecida, o que dificulta a implementação de planos para sua conservação.

Referências:

Cortes-Ortíz, L., Ferreira, J., Fialho, M., Jerusalinsky, L., Laroque, P. & Pinto, T. (2020). Alouatta ululata. The IUCN Red List of Threatened Species 2020: e.T918A17925649. https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2020-2.RLTS.T918A17925649.en. Acesso em 28 de janeiro de 2021.

 

Ferreira, J. G.; Pinto, T.; Fialho, M. S.; Laroque, P. O.  (2015). Avaliação do Risco de Extinção de Alouatta ululata Elliot, 1912 no Brasil. Processo de avaliação do risco de extinção da fauna brasileira. ICMBio. http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/fauna-brasileira/estado-de-conservacao/7188-mamiferos-alouatta-ululata-guariba.html. Acesso em 28 de janeiro de 2021.

 

Freire Filho, R., & Palmeirim, P. (2019). Potential distribution of and priority conservations áreas for the Endangered Caatinga howler monkey Alouatta ululata in north-eastern Brazil. Oryx, 54(6), 1-9. DOI:10.1017/S0030605318001084.

 

Gregorin, R. (2006). Taxonomia e variação geográfica das espécies do gênero Alouatta Lacépède (Primates, Atelidae) no Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, 23(1), 64-144. https://doi.org/10.1590/S0101-81752006000100005.

 

Groves, C. P. (2005). Order Primates. In D. E. Wilson & D. M. Reeder (Eds.), Mammal species of the world (3 ed., Vol. 1, pp. 110-184). Baltimore: Johns Hopkins University Press.

);