Alouatta belzebul, (Linnaeus, 1766)

Nome(s) popular(es):

Bugio-de-mãos-ruivas; guariba-de-mãos-ruivas; guariba-de-mãos-vermelhas.

Características físicas:

O padrão de coloração mais frequente em A. belzebul é uma pelagem toda negra com as regiões dos pés, mãos e terço apical da cauda de cor castanho-avermelhada ou ruiva. Contudo, já foram descritos indivíduos dessa espécie completamente negros ou ruivos. O dimorfismo sexual nesta espécie ocorre, pois o macho é maior que a fêmea. Em geral, apresentam um comprimento médio de 44,00 cm com 54,00 cm de cauda, e as fêmeas possuem 30,00 cm de comprimento da cabeça a porção final do corpo, e 45,00 cm de cauda. Ainda, o peso médio do macho é de 4,7 kg e o das fêmeas é, em média, 3,23 kg.

Ecologia:

São animais diurnos, herbívoros e vivem em árvores, ou seja, são arborícolas. Se alimentam preferencialmente de folhas, comendo folhas novas e, às vezes, cascas de árvores ou galhos lenhosos, mas raramente flores ou folhas maduras. Esse padrão de dieta pouco calórica, por conta da ingestão de folhas, explica o padrão de atividade do gênero dessa espécie, pois, em geral, eles passam mais da metade do tempo descansando ou dormindo. Durante estações mais chuvosas, já foi verificada uma maior ingestão de frutas por esses indivíduos. Outro dado interessante, é a prática de geofagia nessa espécie, ou seja, ingestão de solo. Isso geralmente ocorre quando os animais ingerem folhas maduras, mas não se sabe se eles conseguem absorver nutrientes do solo, ou se essa ingestão auxilia na digestão de folhas maduras durante as estações mais secas.

A respeito de sua vida social, essa espécie vive em grupos formados por até 20 indivíduos. A composição desses grupos varia mediante o total de indivíduos, mas, em geral, verifica-se que a presença de fêmeas é superior à de machos. São poligínicos, isto é, um macho pode copular com mais de uma fêmea. Sua gestação dura cerca de 187 dias, podendo ocorrer até duas gestações por ano. 

Distribuição geográfica:

É uma espécie endêmica do Brasil, comumente encontrada em duas populações distintas, sendo que uma se localiza na Floresta Amazônica e outra Mata Atlântica da região nordestina. Estima-se que sua distribuição limite ocorra até regiões de transição entre esses biomas com formações mais abertas, como Cerrado e Caatinga. A extensão de ocorrência da espécie é maior que 800.000 Km² para as populações da Amazônia e aproximadamente 16.600 Km² para aquelas da Mata Atlântica. Sobre sua área de ocupação, estima-se que a população amazônica possui mais de 2.000 km², e para a população de Mata Atlântica estima-se que esse valor seja menor que 160 km².

Status de conservação e Ameaças:

Vulnerável (VU): segundo a IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), a espécie está sob ameaças. Essa realidade ocorre, principalmente, em função da diminuição do habitat das populações. Por conta do desmatamento e do avanço dos espaços urbanos e agropecuários, os habitats desta espécie diminuíram muito nas últimas três décadas, sendo que as populações de A. belzebul localizadas mais ao nordeste do Brasil são as mais vulneráveis.

Referências:

De Souza, L. L., Ferrari, S. F., Da Costa, M. L., & Kern, D. C (2002). Geophagy as a correlate od folivory in red-handed howlermonkeys (Alouatta belzebul) from Eastern Brazilian Amazonia. Journal of Chemical Ecology, 28(8), 1613-1621. DOI: 10.1023/a:1019928529879.

 

Gregorin, R. (2006). Taxonomia e variação geográfica das espécies do gênero Alouatta Lacépède (Primates, Atelidae) no Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, 23(1), 64-144. https://doi.org/10.1590/S0101-81752006000100005.

 

Groves, C. P. (2005). Order Primates. In D. E. Wilson & D. M. Reeder (Eds.), Mammal species of the world (3 ed., Vol. 1, pp. 110-184). Baltimore: Johns Hopkins University Press.

 

Valença-Montenegro, M. M., Fialho, M. S., Carvalho, A. S., Ravetta, A. L., Régis,T., Melo, F. R., Veiga, L. M. (2012). Processo de avaliação do risco de extinção da fauna brasileira. ICMBio. http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/fauna-brasileira/lista-de-especies/7171-mamiferos-alouatta-belzebul-guariba-de-maos-ruivas.html, Acesso em 28 de janeiro de 2021.

 

Valença Montenegro, M., Carvalho, A., Cortes-Ortíz, L., Fialho, M., Jerusalinsky, L., Melo, F., Mittermeier, R. A., Ravetta, A., Régis, T., Talebi, M. & Veiga, L. M. (2019). Alouatta belzebul. The IUCN Red List of Threatened Species 2019: e.T39957A17925370. https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2019-3.RLTS.T39957A17925370.en. Acesso em 28 de janeiro de 2021.

);